10 coisas que você deve saber antes de visitar a China

10 coisas que você deve saber antes de visitar a China

Terra dos pandas, da Grande Muralha e das comidas exóticas, a China ainda causa grande curiosidade em nós, brasileiros. Essa nação milenar, rica em história e tradição, tem crescido cada vez mais em tecnologia e poder econômico. Muita além das feiras de negócios, o país tem um potencial turístico enorme, entre templos budistas, arranha-céus iluminados e uma natureza admirável. Tem viagem marcada para a China? Ou sempre sonhou em conhecer o país? Vem com a gente que preparamos uma lista de 10 coisas que você precisa saber antes de embarcar para o outro lado do planeta!

A internet na China é bloqueada

WhatsApp, Instagram, YouTube e Google Maps podem ser ferramentas de seu uso diário. Não na China! Lá a internet é controlada pelo governo, não permitindo acesso aos serviços da Google, assim como as redes sociais que estamos tão acostumados a usar, e mais uma série de outros sites. Mas como sobreviver a uma viagem para a China sem tudo isso? É claro que para tudo se dá um jeito, e nesse caso o jeito se chama VPN. Uma variedade de aplicativos de Rede Privada Virtual (VPN) fazem seus dispositivos parecerem que estão acessando a internet de um outro país, possibilitando o acesso a esses sites. Contudo, fique esperto, o VPN geralmente reduz a velocidade de conexão e deve ser baixado já antes da viagem. Chegando lá pode ser difícil ter acesso aos aplicativos. Mas e os chineses, vivem como sem tudo isso? Na China há apps e sites equivalentes a todos os nossos queridinhos ocidentais. O WeChat substitui o WhatsApp, o Youku substitui o YouTube, o Baidu Maps entra no lugar do Google Maps, e assim por diante. Claro, tudo em Mandarim e voltado a esse público, mas para eles é mais do que suficiente.

O cristianismo não representa nem 5% da população do país

Sabe aquele clima de Natal, lojas decoradas, papai noel no shopping, promoções e todo mundo se reunindo com a família? Imagine estar em um país que o Natal é só mais um dia comum. Assim como a Páscoa ou qualquer outro feriado cristão, que independente das crenças da população tem grandes proporções no Brasil. Isso porque o cristianismo não representa nem 5% da população chinesa. Essas datas simplesmente não são parte da tradição do país. Em cidades maiores e mais ocidentalizadas até pode existir um certo movimento, devido ao número de estrangeiros, mas na China em geral é só mais um dia. As principais religiões chinesas são o taoísmo, budismo e confucionismo, e muitas as vezes as pessoas são praticantes de mais de uma delas, por possuírem características em comum. Igrejas são raras, mas você frequentemente verá templos. A China também celebra uma variedade de feriados próprios, muito relacionados a natureza, as estações, solstícios e equinócios.

Achar alguém que fale inglês pode não ser uma tarefa fácil

Quem planeja uma viagem para a China volta e meia se preocupa com uma questão: a comunicação. Aqueles “desenhos”, os ideogramas, e os sons nada parecidos com o nosso idioma assustam em um primeiro momento. De fato, o inglês não é amplamente falado no país, e pode acontecer de mesmo em locais turísticos essa barreira linguística existir. Mas não duvide da vontade dos chineses em interagir e vender, já que eles sempre irão tentar se fazer entender de alguma forma, principalmente digitando o preço do produto que está sendo pechinchado em uma calculadora. Vale mímica, tentar umas palavras em inglês, usar o tradutor e de alguma forma a comunicação vai acontecer. É sempre válido ter um aplicativo de tradução baixado no celular, que funcione sem internet, de preferência. Assim todo mundo se entende!

O transporte público funciona muito bem!

Se locomover na China pode não ser tão complicado quanto parece. O transporte público, seja dentro das cidades ou entre elas, funciona muito bem. Os metrôs nas grandes cidades contam com placas e máquinas de comprar tickets em inglês e costumam ser simples de usar. Ainda que dependa de um VPN para acessar, no próprio Google Maps é possível ver as rotas de transporte. Os trens conectam o país todo, são confortáveis e eficientes formas de se locomover entre cidades, e muitas vezes acaba sendo mais vantajoso do que ir de avião. Só é sempre bom separar um tempo para chegar com antecedência para poder recolher os tickets com calma e encontrar sua plataforma. Se você preferir ter mais conforto, a dica é baixar o app Didi, o “Uber” chinês, e seguir viagem.

 Nem todos os hotéis chineses aceitam estrangeiros

A China tem alguns segredinhos escondidos (rs) e por isso uma viagem para lá demanda um pouco mais de planejamento e organização. Por exemplo, na China é necessário que os hotéis, hostels e hospedagens tenham uma licença específica para que possam receber estrangeiros. Isso quer dizer que você não pode se hospedar em qualquer local. Para evitar qualquer problema, é sempre bom checar na descrição do local se há alguma menção a isso. No Hostelworld você encontra diversas opções nas principais cidades chinesas para planejar e curtir sua viagem para a China! Seja para visitar a Grande Muralha em Pequim, ver as luzes dos arranha-céus em Shanghai ou conhecer os Guerreiros de Terracota em Xi’an, você encontra hostels por bons preços e ótimo conforto e localização.

 Dinheiro em espécie é coisa do passado

Uma das coisas mais fascinantes na China é como a cada dia que passa a tecnologia avança e muda a vida das pessoas para melhor. Muitos serviços já são automatizados, mas sem dúvida a questão dos pagamentos é no mínimo surpreendente. A maior parte dos pagamentos feitos na China são através do celular. Carteira e dinheiro em espécie são coisas já do passado. Lojas, restaurantes, e até mesmo aquela feirinha de comida de rua, tudo tem um QR Code que você escaneia, digita o valor e realiza o pagamento direto do seu celular. Ou então, aproxima o QR Code da sua conta de uma máquina que vai descontar do seu saldo. Isso porque alguns aplicativos como o próprio WeChat (WhatsApp chinês) e o gigante AliPay conectam com sua conta do banco, podendo realizar operações de forma fácil. Além dos pagamentos em estabelecimento, você pode enviar dinheiro para outras pessoas com a mesma facilidade que envia uma mensagem. Saiu para jantar com os amigos? Divide a conta no grupo do WeChat! Tudo fácil e rápido. Infelizmente esse sistema só funciona para quem tem uma conta na China, então os turistas seguem usando dinheiro em papel. É importante saber que cartões de crédito não são muito aceitos, sendo a melhor forma levar dólares para trocar por yuan (moeda local) em uma casa de câmbio assim que chegar.

A tradição e inovação coexistem no país

Outra coisa que surpreende e muito é que apesar de toda a tecnologia e inovação, os chineses mantêm muito forte suas tradições. O Feng Shui, uma prática que busca a melhor forma de as energias fluírem nos ambientes, ainda é utilizada, mesmo em grandes centros urbanos. Quando alguém está doente, a tendência é que primeiro medicinas alternativas, como a medicina tradicional chinesa, sejam utilizadas, antes de partir para medicamentos ocidentais. A população chinesa é muito supersticiosa com cores, números, datas e leva isso tudo a sério. Existem muitos rituais e crenças que se mantém, mesmo com tanto avanço da sociedade e economia. Talvez seja esse o segredo para a nação que mais cresce no mundo, olhar para o futuro sem perder as raízes.

Os banheiros podem não ser muito amigáveis…

Você pode ter uma surpresa não muito agradável quando estiver viajando na China e for utilizar o banheiro. Isso porque o modelo de banheiro tradicional chinês é basicamente um buraco no chão, diferente das privadas com as quais estamos habituados. Os chineses acreditam que fazer suas necessidades de cócoras auxilia no funcionamento do intestino, e tem essa prática como algo cultural. Os hostels e hotéis costumam ter privadas nos sanitários, mas caso precise usar um banheiro público ou se estiver em uma cidade menos preparada para o turismo é certo: ao abrir o box do banheiro você vai se deparar com o buraco no chão. Uma dica é sempre andar com um pacote de lencinhos na bolsa, já que papel higiênico é raridade nos banheiros públicos por lá.

Se você gosta de pimenta, a China é o seu lugar!

Quando se fala em China, o assunto “comida” logo vem à tona. Não é por menos, o país possui uma culinária diferente da nossa, mas que pode surpreender. Se você é daqueles que gostam de uma boa pimenta vai se realizar por lá. O ingrediente é o principal tempero usado pelos chineses, em maior ou menor quantidade dependendo da região da China em que você se encontra. Já se você não vai bem com uma pimentinha é bom sempre pedir ao garçom que o prato seja “bu lá” (sem apimentado, em mandarim), porque as doses costumam ser generosas. A culinária chinesa se resume a macarrão e arroz, sempre acompanhado de vegetais e alguma carne (frango ou porco na maioria das vezes). Apesar de parecer diferente em um primeiro momento, vale uma tentativa da culinária local. Se não rolar, sempre tem uma rede fast food disponível por perto.

 Deixe tudo que você imagina da China para trás!

Temos muitas ideias prontas sobre a China, de como é a vida nessa nação tão distante, como são as pessoas, os lugares. Mas a verdade é que um país enorme em dimensões geográficas, população e história vai muito além de qualquer estereótipo. É impossível definir em poucas palavras esse lugar que em si só é de uma diversidade sem tamanho. Deixe de lado tudo aquilo que você já sabe ou imagina e se permita vivenciar a China. Experimente sabores, busque entender a cultura, esteja aberto ao diferente. Tenho certeza que você vai se surpreender!

DICA EXTRA! Onde se hospedar na China

Peking Station Hostel

Com um estilo tradicional chinês por fora, mas uma decoração moderna e estilosa por dentro, o The Phoenix Hostel, em Shanghai, é o ponto de partida perfeito para descobrir a cidade. Localizado na Yunan Road, conhecida por sua variedade de restaurantes, o hostel fica localizado a 5 minutos a pé da estação de metrô People’s Square. Depois de um longo dia explorando Shanghai, aproveite o Phoenix bar no rooftop do hostel para relaxar, se divertir com os jogos e organizar sua próxima festa.

Muito além de uma acomodação econômica, os hóspedes do Peking Station Hostel, em Pequim, podem vivenciar uma experiência única. Isso porque o local conta com lounge, jardim e bar, te transportando para um ambiente de relaxamento assim que você entra. Em 15 minutos de caminhada você chega na Praça Tian’anmen e na Cidade Proibida, além de acessar as linhas 1 e 5 do metrô pela estação Dongdan que fica a 1 minuto de distância.

O Han Tang Inn Hostel é uma ótima opção para quem deseja visitar o Exército de Terracota, patrimônio da humanidade da Unesco, em Xi’an. Localizado no centro da cidade, próximo ao bairro muçulmano e ao Museu Histórico de Shaanxi, o hostel oferece serviço de translado gratuito da estação de trem. As noites são animadas com atividades diárias como aulas de caligrafia, jogos e jantares com a culinária local.

📚 Sobre a Autora 📚

Aqui quem fala é a Nathalia, jornalista em construção e mochileira nas horas vagas. Acredito que se perder pelo mundo é a melhor forma de encontrar a si mesmo. Já chamei alguns lugares de casa, até entender que meu lar é o mundo. Compartilho meus relatos e memórias no Histórias de Estrada e também no meu Instagram.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/visitar-china/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.