Quanto custa viajar para Nova York em 2017?

Quanto custa viajar para Nova York em 2017?

Nova York é aquele tipo de destino-chave, que é bom de visitar independente da época, mas a fama que a cidade carrega de ser um destino caro e a alta do dólar podem te gerar algumas dúvidas sobre as suas próximas férias. Se você ainda está em dúvida e não sabe quanto custa viajar para Nova York, o Hostelworld (e eu, Louise Palma, do Mochilou) estamos aqui para te salvar! Se organizar direitinho, todo mundo viaja e tem diversão garantida na famosa Big Apple.

A parte mais legal é que viajantes de todos os estilos têm lugar quando o assunto é explorar Nova York. Tem atração para tudo que é tipo de bolso, muita gente para todos os lados e a cidade parece não dormir nunca. Não importa se você curte fazer o turismo clássico, visitando os principais pontos turísticos, ou se você está interessado em curtir os cantinhos de Nova York: tem roteiro pra todos os gostos.

✈️ Passagens

O primeiro passo para quem quer viajar é comprar as passagens e esse pode ser um dos maiores gastos da sua aventura. A parte boa é que dá para parcelar e as companhias aéreas vivem fazendo promoções – para a nossa alegria! O que costuma acontecer é as passagens caírem de preço nas temporadas mais baixas, já que a procura é menor.

O lance é que Nova York é uma cidade que não tem essas temporadas muito bem definidas e, por isso, pode ser que os preços não variem muito. Claro que viajar no Reveillon ou no auge do verão norte-americano vai jogar os preços lá pra cima, mas a média se mantém entre R$2200 e R$2500 em voos saindo da região sudeste. Em promoções, dá para encontrar passagens abaixo dos 2 mil.

Uma pesquisa do Skycanner aponta que viajar para os Estados Unidos em agosto fica mais em conta. Pra quem tiver essa disponibilidade, vale tentar.

?? Faça sua busca no Skyscanner aqui.

? Dinheiro

A era do dólar barato chegou ao fim e não tem jeito: ficou mesmo mais caro viajar com a moeda do Tio Sam. A melhor opção ainda é comprar seus dólares antes de sair do Brasil, levando em papel moeda. O buscador Melhor Câmbio indica as melhores cotações do dia e ainda fornece o contato das casas de câmbio listadas.

Eu adoro essa ferramenta porque ela facilita a vida, poupando daquele trabalho chato de entrar em vários sites ou ligar para as casas de câmbio em busca de cotações e ainda mostra o preço de compra em papel moeda e no cartão pré-pago. Esteja atento se o valor do IOF, (de 1,1% para dinheiro e 6.38% no cartão), está incluso.

Os economistas aconselham que a grana seja trocada ao longo dos meses, para que se consiga uma cotação média. Agora, se você resolveu viajar de última hora, escolha um dia para trocar seu rico dinheirinho e se jogue!

A desvantagem de levar toda a quantia que você precisa assim é que dinheiro vivo não tem seguro. Em caso de roubo, é sentar e chorar. A tranquilidade pode te custar um IOF mais caro, de 6,38%, em cartões pré-pagos, de crédito, de débito ou cheques. Vale lembrar que, desde o ano passado, uma lei permite que, em compras com o cartão de crédito, os usuários escolham se vão pagar a conta com a cotação do dia da compra ou do dia do vencimento da fatura.

? Hospedagem

Nova York não é uma cidade econômica para se hospedar, mas os hostels estão aí para salvar as nossas vidas! Por conta da extensa linha de metrô, fica fácil cruzar Manhattan e qualquer bairro dentro dos limites da ilha pode ser uma boa opção para se hospedar.

No Midtown, você está mais pertinho da Times Square, da 5a Avenida, do Central Park e da Broadway. Já no Downtown, na parte sul, o agito dá lugar a um clima mais residencial, mas isso não significa que vai ser difícil de encontrar lugar pra ficar. Chelsea, Meatpacking District, East Village, Soho e Lower East Side são alguns dos bairros charmosinhos, que merecem ser visitados mesmo que você não durma por lá.

Em Manhattan, os preços dos dormitórios começam em R$ 158. Quem procura mais privacidade, pode encontrar quartos privados a partir de R$ 300.

Os bairros como Brooklyn, Queens, Bronx e Long Island estão mais afastados do centro e, por isso, costumam ter preços mais em conta na estadia. Pode ser uma boa opção para quem tem mais tempo para gastar no deslocamento. Nessas áreas, é possível encontrar dormitórios a partir de R$105 e quartos privados a partir de R$158.

Para achar seu hostel, não tem mistério! O Hostelworld te mostra os hostels disponíveis em Nova York e ainda te dá uma colher de chá para encontrar o mais econômico: Basta clicar em “Filtro” e depois em “Preço”. Você também pode filtrar os hostels disponíveis pelo tipo de propriedade, tipo de quarto, instalações e muitos mais.

Além disso, dá pra ordernar por avaliação, usar o Mapa para ver onde o hostel está localizado nesta cidade ou ler os comentários sobre o hostel. Estas avaliação são deixadas apenas pelos nossos clientes que  reservaram conosco e que tenham se hospedado na propriedade,  por isso eles são uma ótima maneira de ter uma boa recomendação.

?Alimentação

Como toda boa metrópole, Nova York tem opção para todos os gostos quando o assunto é gastronomia. Claro que seu gasto com alimentação vai depender muito do que você quer pretende comer durante a sua viagem, mas é recomendável que as refeições sejam equilibradas. O que eu quero dizer com isso? Comer pizza e hot-dog por muitos dias pode refletir na saúde, acabando com a qualidade dos seus dias durante a viagem.

Óbvio que na terra do fast-food, fica difícil escapar. Um menu no Mc Donalds (e todas as suas variáveis) fica em torno de 8 dólares e é fácil comer fatias de pizza e cachorro-quente em barraquinhas pela rua por esse mesmo valor. O mesmo vale para um café da manhã no Starbucks e similares.

Já em um restaurante, uma refeição varia entre 15 e 25 dólares, enquanto em um lugar mais “fancy”, um menu completo com entrada, refeição e sobremesa para duas pessoas custa, em média, 80 dólares. Aquela cervejinha custa entre 5 e 7.50 dólares.

? Transporte

É provável que você vá caminhar muito em Nova York, mas a cidade é grande e não dá para conhecê-la apenas a pé. O metrô é a melhor forma de andar para cima e para baixo em Manhattan e faz parte de um sistema eficiente, com tantas linhas que vai te fazer ficar zonzo. Calma que vai dar tudo certo!

Pra começar, a boa é comprar o MetroCard pra conseguir um preço mais camarada nas tarifas. Ele serve tanto pro metrô quanto pros ônibus locais, custa $1 e deve ser recarregado com, no mínimo, $5.50.

O “single-ride”, quando comprado nas máquinas das estações, custa 3 dólares. Mas se você recarrega seu MetroCard, esse preço cai para $2,75. Outra opção é recarregar o cartão com o “7-Day”, que te permite usar o metrô ilimitadamente por $31.

Agora faça as contas: Pagar por cada corrida só vale mesmo a pena se você for pegar o metrô ou o ônibus local menos de 13 vezes durante a sua estadia. Se você tem o plano de passar mais de uma semana na cidade, o cartão de corridas ilimitadas por um mês é vantajoso se for usar transporte público, pelo menos, 48 vezes.

Por fim, você também pode se sentir numa cena de Sex And The City (ou de qualquer filme que se passe em Nova York), correndo para o meio-fio com o dedo em riste, gritando “táxi”! O “yellow cab” é praticamente um patrimônio dessa cidade e merece ser experimentado pelo menos uma vezinha. A tarifa normal começa nos $2,50 e, a cada quilômetro aumenta, em média, $1,69.

? Atrações e passeios

Nova York tem muito para se fazer sem desembolsar um cent sequer! Caminhar pelo Central Park e pelo Highline Park, explorar a 5a Avenida, cruzar a Ponte do Brooklyn, se perder pelas ruas do Bronx ou do Queens, se encantar com as luzes da Times Square são só algumas das coisas que dá para fazer de graça, mas boa parte das atrações turísticas em Nova York são pagas.

Listamos algumas que não devem ficar de fora do seu roteiro:

  • Empire State Building: a partir de $34/ $31 (idosos)
  • Top Of The Rock: $34/ $32 (idosos)
  • Estátua da Liberdade: a partir de $18.50/ $14 (idosos)
  • MET Museum: preço sugerido de $25/ $17 (idosos) $14 (estudantes)
  • Museus Americano de História Natural: preço sugerido de $22/ $17 (idosos e estudantes)
  • Museu de Arte Moderna (MoMa): $25/ $18 (idosos)/ $14 (estudantes)
  • Whitney Museum of American Art: $25/ $18 (estudantes e idosos)
  • Guggenheim Museum: $15/ $10 (estudantes e idosos)
  • Museu do 11 de Setembro: $24/ $18 (idosos)
  • Peças da Broadway: a partir de $29

Vale lembrar que muitas atrações dão desconto para ingressos comprados online e algumas delas oferecem seus ingressos combinados.

? Compras

Difícil ir a Nova York e não ter vontade de comprar tudo o que aparece pela frente. Além da cidade (e suas luzes) estimularem constantemente o consumo, os preços são bastante convidativos, principalmente em roupas e eletrônicos.

Enquanto as peças de “marca”, que chegam ao Brasil mais caras por conta dos impostos, revelam seu real preço, as lojas de departamento são outra perdição para quem não resiste a uma vitrine. As ofertas rolam solto quando há troca de coleção (em janeiro, fevereiro, junho e julho) e também nas datas próximas dos feriados.

Os eletrônicos também saem mais em conta quando comprados em dólar e os preços caem ainda mais no maior “sale” do ano, a Black Friday, que acontece na quarta sexta-feira de novembro, depois do Thanksgiving.

Agora é só colocar os gastos na ponta do lápis, escolher quais as suas prioridades e… partiu Nova York!

Se você gostou deste post, também pode gostar destes:

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/quanto-custa-viajar-para-nova-york-em-2017/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Carol Guido

Inspire-se

2 Responses to “Quanto custa viajar para Nova York em 2017?”

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.