Por que você deveria dar uma chance ao Leste Europeu

Por que você deveria dar uma chance ao Leste Europeu

A Europa está sempre no foco de todo o viajante. Mas que tal conhecer uma parte ainda não tão explorada do continente? Reunindo preços baixos (inclusive da cerveja!), uma história rica e paisagens inacreditáveis que combinam a vibe medieval com a modernidade, o Leste Europeu está pronto para te conquistar e surpreender! Vem comigo descobrir por que essa região vai definitivamente fazer você querer botar a mochila nas costas.

As belezas naturais

Todo mundo já sabe que a Croácia é uma preciosidade! Dentre as 1.000 ilhas que formam o país, só 50 delas são povoadas e você com certeza já teve vontade de ir a Hvar, Split ou Dubrovnik. E, olha, realmente são maravilhosas. Se joga!

Kotor, Montenegro 📷 yakovlevmax0

Mas o interessante é que países menos conhecidos da região, como Bósnia e Herzegovina, também guardam surpresas incríveis! Você já ouviu falar nas cataratas de Kravice? Ou em Mostar, onde uma ponte compõe quase uma tela com o rio lindo que passa por lá? E que tal os parques nacionais Sutjeska ou Una?

Montenegro, com sua mistura medieval com o mar Adriático, também não fica atrás. Dá uma olhadinha nas praias da Baía de Kotor e na encantadora cidade costeira de Budva, você vai se apaixonar!

A história da região

No pós Segunda Guerra Mundial, quando imperava a Guerra Fria, o continente Europeu foi simbolicamente dividido pela cortina de ferro: de um lado, estava o bloco capitalista e, de outro, o socialista. O leste, então, viveu por anos orientado pela ideologia socialista e é, no mínimo, muito interessante descobrir de perto as particularidades criadas. Uma ótima maneira de fazer isso é apostando nos freewalking tours, onde você recebe as informações de um habitante local que te contará detalhes da realidade do país e, ao final, você paga o quanto achar justo (lembrando que, em geral, há um preço sugerido e é bacana valorizar o trabalho feito).

Auschwitz, Polônia 📷 alicemaffucci

Escultura “Sapatos na margem do Danúbio”: homenagem aos judeus mortos em Budapeste 📷 iamigerbase

Além disso, em países como a Polônia, você tem contato direto com a história dos judeus no continente. É possível ir aos antigos campos de concentração, o que, sem dúvida, será uma experiência que te fará pensar, refletir e aprender muito sobre a vida (seja a deste povo, seja a sua) e sobre necessidade de defendermos a igualdade, a dignidade da pessoas humana e os direitos fundamentais.

É muito fácil se locomover por lá

A distância entre os países não é tão grande e é possível viajar facilmente de ônibus por lá. Tem muita companhia de ônibus lowcost na região e os preços são realmente baixos: os trechos, em geral, custam menos de 20 euros. Além disso, há muita oferta de ônibus noturno, o que otimiza tempo e dinheiro. Eu viajei por lá sozinha, fiz tudo de ônibus e foi super tranquilo (ah, e é muito seguro).

Estrada na Polônia 📷 Krzysztof Jaracz

Mas, para quem não está sozinho, pode facilmente alugar um carro! Vale muito a pena. O carro te dá uma liberdade única, as estradas são maravilhosas e tem muita coisa linda pelo caminho, dá para ir parando e aproveitando no seu tempo, conhecendo muito além dos grandes centros turísticos. Confesso que um dos meus sonhos é fazer uma road-trip pela Eslovênia e Croácia, já que os dois países são cheios de pontos encantadores na beira da estrada.

Os preços são mais acessíveis

O Leste Europeu é, sem dúvidas, a parte mais em conta da Europa – e em tempos de real desvalorizado e euro caríssimo, isso conta muito para escolher um destino, né? Então, a maioria dos países não tem o euro como moeda oficial, o que já deixa tudo mais baratinho. Além disso, a média dos preços é realmente baixa: em Budapeste, na Hungria, por exemplo, tem hostel (super bem avaliado e com café da manhã) a partir de 6 euros a noite; uma refeição completona por lá custa em torno de 8 euros; e o transporte uns 5 euros.

Budapeste 📷 alicemaffucci

A Polônia, como outro exemplo, consegue ser ainda mais barata! Tem quarto por menos de 5 euros; o transporte público custa em torno de 3,5 euros; e uma refeição sai por volta de 7 euros. Fica bem mais tranquilo de caber no orçamento assim, pode falar…

Você precisa conhecer a Eslovênia!

Há quem considere que a Eslovênia fica no Leste, há quem não considere… Mas o fato é que, sob uma interpretação mais ampla, a Eslovênia está ali e é uma joia ainda pouco explorada!

Lago Bled, Eslovênia 📷 alicemaffucci

Lago Bled, Eslovênia 📷 alicemaffucci

Digo com total tranquilidade que esse pedacinho de terra é um dos meus lugares preferidos no mundo! O país traz uma mistura de águas cor-azul-infinito com um cenário medieval inacreditável, Alpes ao fundo, pessoas gentis, que falam inglês bem e estão dispostas a ajudar. Para vocês terem noção de como eles são solícitos: eu estava sozinha, perdi meu celular e consegui pegar uma carona com um bombeiro para procurar o bendito celular – que achamos!

Desde a capital, Ljubjana (conhecida como “a capital verde da Europa”), que traz muito charme no seu estilo medieval, até Bled, que apresenta um lago cristalino, quentinho, onde você pode tomar banho e relaxar (e de quebra, tem uma igrejinha construída em uma ilha que fica bem no meio do lago), tudo nesse país vai fazer você vai se perguntar várias vezes se aquilo é real ou se é um sonho.

Ljubjana 📷 toocheesh

O parque Triglav como um todo, Vintgar Gorge, a cachoeira Savica, o lago Bohinj, o vale do Rio Soča e a caverna de Postojna são de outro mundo! Dá uma pesquisada, só cuidado para não querer saindo correndo para lá agora, eu sei que dá vontade <3

A cerveja

Além da Alemanha e da Bélgica, países já muito conhecidos pela sua cerveja, a novidade é que essa região também é um atrativo à parte para os apaixonados pela bebida!

Parque em Praga 📷 guidocarol

Você sabia que a República Tcheca é o país em que mais se bebe cerveja no mundo? E que a cerveja pilsen foi inventada por lá? Pois é! A capital é repleta de pubs charmosos e é super comum ter menus degustação de cerveja, aliando economia e variedade. Mas não para por aí: a paixão pela cerveja nesse país é tanta que eles têm vários “BeerSpas” espalhados, onde você pode, literalmente, tomar um banho de cerveja (e olha, dizem que a levedura ajuda a rejuvenescer a pele).

Para completar, segundo um ranking do GoEuroBeer, as cidades do leste também têm as cervejas mais baratas do mundo! Lideram a lista a Cracóvia (Polônia), Kiev (Ucrânia) e a Bratislava (Eslováquia).

Tem hostel com café da manhã E jantar!

Vocês vão me desculpar, mas, para mim, comida importa. E importa MUITO. Comida grátis, então… Isso sim é diferencial! Me emocionei quando descobri que no Greg & Tom, uma rede de hostels muito maneira da Cracóvia (Polônia), eles oferecem café da manhã e jantar incluídos no preço da diária (que custa a partir de 11 euros)! Tem váaarias opções gostosas tanto no café, quanto no jantar (quando eu fiquei lá, o jantar era no estilo self-service).  A sensação de chegar cansado no hostel e ter comidinha quente te esperando é única e eu, definitivamente, recomendo.

Além disso, a rede oferece dois tipos de hostels: um mais animado (O Greg & Tom BeerHouse, onde você ainda descola uma cerveja grátis) e o outro mais tranquilo, para quem preferir descansar e dormir cedo. Os dois têm ótima localização e são muito confortáveis.

Não é tãaao lotado de gente

E olha, pode apostar, isso é um ponto muito positivo! Principalmente em épocas que não sejam de altíssima temporada, não vai ter um milhão de pessoas saindo nas suas fotos, assim como não tem o risco de levar um pau de selfie na cabeça no meio daquela disputa pelo click perfeito – e quem já esteve na Fontana diTrevi em um dia de sol sabe do que eu estou falando.

Castelo Predjama, Eslovênia 📷 alicemaffucci

Você vai ter a liberdade de desfrutar melhor dos lugares, com mais tranquilidade e tempo, contribuindo demais para você ter uma experiência completa nos países – seja para aproveitar um rio lindo em Montenegro, para conhecer as cidades medievais mais bem preservadas do mundo na Estônia, para fazer compras no mercado central de Budapeste, para visitar um museu de Praga ou só caminhando pelas avenidas de Viena.

Os encantos arquitetônicos

O Leste Europeu é uma explosão arquitetônica! E tem para todos os gostos, do contemporâneo ao medieval, dando uma passadinha pelo macabro.

A torre do relógio astronômico de Praga (ou simplesmente o “orloj”) chama muito atenção e, de hora em hora, muita gente para por lá para contemplar seus detalhes: não é um relógio comum, também mostra as fases da lua e até o movimento das estrelas. Para os mais moderninhos, em Praga também tem a dancing house, que é um prédio monumental em homenagem à arquitetura contemporânea que, com suas curvas ousadas, parendo que está dançando.  Ah, e no ponto macabro, em Kutná Hora, uma cidade também da República Tcheca, tem uma catedral todinha feita de ossos: em torno de 40 mil ossos de vítimas de guerras religiosas compõem a decoração e a estrutura da igreja.

Parlamento de Budapeste 📷 alicemaffucci

A Hungria, por sua vez, também não pode ser deixada de lado. Budapeste é uma cidade dividida pelo rio Danúbio onde, de um lado, fica Buda e do outro, Peste. Para ligar as duas partes existem 5 pontes, cada uma com uma proposta arquitetônica diferente e vale muito conhecer cada uma delas. Algumas, nos fins de semana, ficam fechadas para os carros, permitindo que os pedestres passeiem e contemplem o pôr do sol de lá. Além disso, não dá para passar pelo parlamento húngaro e não reparar na delicadeza e imponência da construção, no melhor estilo neogótico inglês. Pela noite, o prédio fica toooodo iluminado, ressaltando cada detalhe especial.  É lindo demais!

Sinta-se da realeza: você precisa conhecer os castelos da região

Sim, em algum momento dessa viagem você vai se sentir em um conto de fadas! Isso porque quase todos os países do leste possuem castelos. Aquele estilo bem medieval, ar de nobreza, no alto de uma colina, com detalhes encantadores, não dá para deixar de conhecer vários.

Cracóvia, Polônia 📷 alicemaffucci

Aqui deixamos um destaque especial para o castelo de Praga, que é o maior castelo medieval do mundo; o Castelo de Wawel, na Cracóvia, que é todo imponente, exibindo tendências arquitetônicas de várias épocas; o Castelo de Bran, na Transilvania (Romênia), que foi a famosa casa de Drácula; e o Castelo de Predjama, na Eslovênia, que, inacreditavelmente, é um castelo renascentista construído dentro de uma caverna – e não no topo de uma montanha.

 

Pode me contar, vai… Nasceu aquela pontinha de vontade de fugir do clichezão da Europa e apostar no diferente, aproveitando que o preço é bemmm justo? Pega a mochila e vamos!

 

Algumas dicas de hostels pela região:

Czech Inn – Praga, República Tcheca

Hostel Celica – Ljubljana, Eslovênia

Swanky Mint – Zagreb, Croácia

Confira também:

 

📚 Sobre a autora 📚

Sou a Alice Maffucci. Depois de morar em Nova Iorque, em Lisboa e na Colômbia, assumi que sou dona de um “coração vagabundo que quer guardar o mundo em mim” e de um desassossego permanente na alma que, vira e mexe, me faz por a mochila nas costas – sempre com um livro de poesia dentro. Posto meus devaneios sobre esse mundo aqui no meu Instagram.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/por-que-voce-deveria-dar-uma-chance-ao-leste-europeu/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Iami Gerbase (Hostelworld)

Hi! My (weird) name is Iami and I'm a Brazilian journalist tired of hearing "You don't look Brazilian". I love to taste street food, read at the beach and watch Naked and Afraid. 🌏 Favourite place on earth: Praia de Palmas, SC, Brazil. 🏠 Favourite hostel: Bananas Bungalows, Krabi, Thailand. You can follow my travels on Instagram: @iamigerbase.

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.