Como conhecer Paris com um orçamento brasileiro

Como conhecer Paris com um orçamento brasileiro

Visitar Paris, a cidade luz, é um sonho para muitos brasileiros. Com o euro nas alturas, muita gente acaba deixando esse sonho para depois. Eu já estive em Paris várias vezes antes de me mudar para a cidade esse ano, para te ajudar a realizar o seu sonho, vou contar todas as coisas que você pode fazer para economizar na sua estadia e conhecer a cidade com um orçamento brasileiro.

Venha na primavera europeia

A época mais barata para visitar Paris é no começo da primavera, mais especificamente nos meses de março e abril. As passagens são mais baratas que em torno de julho ou dezembro, e o tempo é mais ameno. Assim, você foge do frio do inverno que pode até te obrigar a comprar roupas aqui, já que os nossos moletons brasileiros dificilmente seguram graus negativos. No verão, muitos estabelecimentos estão fechados por causa das férias coletivas, o calor é de matar e as filas nas atrações dão a volta na esquina. Se você pode tirar férias fora de temporada, não hesite.

Transporte

O metrô de Paris tem mais de 300 estações, junto com o RER e os ônibus ele forma uma rede de transporte público quase perfeita. De madrugada, depois que o metrô fecha, começam a rodar os ônibus chamados Noctiliens que também são bem eficientes. Paris é bem grande e nem tudo dá para fazer andando se você não tiver uma disposição de ferro. Quanto à tarifa, o que mais vale é comprar o Paris Visite, cartão que pode valer por 1, 2, 3 ou 5 dias e te permite usar o transporte público ilimitadas vezes por diferentes zonas. Se você vai ficar mais tempo do que isso, é melhor comprar o cartão Navigo, que é o que os residentes usam e que pode ser carregado mensalmente ou semanalmente. Tanto o aeroporto de Charles de Gaulle quanto o de Orly têm mais de uma opção para chegar à cidade de transporte público, veja qual é a melhor para você dependendo da localização do seu hostel.

Desconto para jovens

Uma das maneiras de economizar não só em Paris, mas na Europa inteira, é utilizar os descontos que a maioria das atrações oferece para jovens entre 18 e 25 anos. Também existe desconto para estudante então, se você ainda está na faculdade, fazer uma carteirinha internacional pode te ajudar bastante. Em alguns lugares, a entrada é gratuita todos os dias para jovens membros da União Europeia, então se você faz parte dos milhares de brasileiros que tiraram cidadania portuguesa ou italiana por causa da sua bisavó, esse momento é seu. No Arco do Triunfo, por exemplo, a tarifa normal para subir no terraço é de 12 euros e a de jovens, mesmo não estudantes, é de 9 euros. Ainda está caro para você e sua bisavó era brasileira como a minha? A entrada é gratuita para todos no primeiro domingo do mês entre novembro e março.

Torre Eiffel

Não suba na Torre Eiffel. Isso mesmo, não suba. A fila é gigantesca e demorada em qualquer dia do ano e na vista falta uma coisa fundamental: a própria torre. É muito melhor sentar no Champ de Mars, que fica exatamente na frente, comer ou beber alguma coisa e observar a Dama de Ferro. A praça do Trocadéro também oferece uma bela vista que é garantia de sucesso no seu instagram. Antes dos ataques terroristas, podia-se passar debaixo da Torre livremente, hoje em dia é preciso pegar uma fila, geralmente rápida, e passar por um detector de metais e uma revista da sua bolsa para poder entrar naquele espaço e ver a Torre por baixo, de graça. Se você não abre mão de subir, ir até o primeiro andar também é de graça, para ir até lá em cima o preço é menor para jovens entre 12 e 24 anos. Para aproveitar uma bela vista da cidade que contemple a Torre, sem pagar nada, o grande life hack é ir nas Galleries Lafayette que ficam na Boulevard Haussmann e subir até o terraço no sétimo andar.

Museu do Louvre

Best Museums in Paris - The Louvre

📷sara_okolbeseder

Boa notícia: o museu e a pintura mais famosos do mundo te esperam de graça todo primeiro sábado do mês a partir das 18h00, já os cidadãos da União Europeia entre 18 e 25 anos têm entrada gratuita sempre. Caso sua viagem não contemple esse dia, o preço do ingresso pela internet é 2 euros mais caro do que na bilheteria. Se optar por comprar na bilheteria tente chegar bem cedo, logo na abertura para evitar a fila gigantesca, afinal esse é o museu mais visitado do mundo. O Louvre não abre às terças-feiras. Outro museu famoso e muito legal de se visitar é o Musée d’Orsay, que é gratuito todo primeiro domingo do mês.

Visite os parques e jardins

Já decidimos que a sua visita vai ser na primavera, então por que não ir nos jardins e parques lindíssimos e gratuitos de Paris na melhor época para isso? Perfeitos para sentar e relaxar ou fazer um piquenique com coisas baratas que você comprou no mercado ao invés de gastar seu suado dinheirinho num restaurante. A cidade existe há mais de 2 mil anos então os lugares são cheios de história. Os Jardins de Luxemburgo, por exemplo, foram construídos como parte de um palácio, que depois virou uma prisão, depois um quartel durante a invasão nazista e hoje é local de reunião pro Senado e também abriga aulas de apicultura. Uma boa dica é pesquisar guias de áudio gratuitos na internet e ouvir enquanto passeia pelo lugar. Se você curte cultura e história, vai aprender muito sem gastar nada. Alguns outros parques e jardins gratuitos em Paris: Jardin des Tuilleries, Jardin des Plantes, Bois de Boulogne, Parc des Buttes Chaumont, Jardin du Palais Royal.

Ande na Champs- Elysées

 

📷@asyaballe

A avenida dos Campos Elíseos, onde fica o Arco do Triunfo, é gigantesca e abriga grandes lojas de marcas de luxo, como Dior e Louis Vuitton, além de restaurantes feitos para fazer turistas gastarem muito dinheiro em comida meia boca, mas é um lugar muito lindo e andar ali é de graça e essencial em qualquer visita à Paris. Se aventurando pelas ruas nos arredores, você vai ver os restaurantes e boates que os famosos e endinheirados frequentam na cidade.

Passeie por Montmartre

📷@lauraspinoni

Picasso, Dalí e Monet eram alguns dos nomes que subiam e desciam as ladeiras de Montmartre 100 anos atrás. No bairro boêmio você encontra o Moulin Rouge, o café da Amelie Poulain, o Muro do Eu Te Amo (no qual a frase está escrita em mais de 200 línguas) e a Basílica do Sacré-Coeur, que tem entrada gratuita sempre. Depois de fazer sua visita à basílica na faixa, sente nas escadarias no fim da tarde e aprecie o pôr-dosol.

Alimentação

A melhor maneira de economizar com comida em Paris é cozinhando a sua própria, muitos hostels têm cozinha comunitária e café da manhã incluso, mas cuidado com a escolha do mercado, as redes Monoprix e Franprix são caríssimas, prefira unidades da rede Casino ou Lidl. Se você precisar fazer um lanche na rua, o crepe francês é mundialmente famoso, muito recheado (eu nunca consegui comer um inteiro), e custa uma média de 5 euros na versão presunto e queijo, você encontra pequenas creperias em literalmente qualquer canto da cidade. Também muitas kebaberias como opção de lanche baratinho, além dos fast foods que você já conhece e outros que você nunca ouviu falar, mas que tem preços ainda mais atrativos que o Mc Donald’s. Caso você queira provar a famosíssima culinária francesa pelo menos uma vez durante a sua estadia, prefira a hora do almoço. A maioria dos restaurantes têm as chamadas “Formules Midi”, um combo de entrada + prato + sobremesa por um preço fixo. Não se esqueça que todos os restaurantes oferecem água gratuitamente, basta pedir uma “carafe d’eau, s’il vous plaît”, uma cestinha com pedaços de baguete para acompanhar a refeição também costuma ser oferecida sem custo, mesmo que você não peça.

Onde ficar em Paris

Funcionando há mais de 30 anos, o 3 Ducks Eiffel Tower é um dos hostels mais antigos de Paris, o prédio é inclusive tombado como patrimônio histórico, mas não se preocupe porque ele é todo renovado. Fica pertinho da Torre Eiffel, tem um bar perfeito para quem quer socializar e café da manhã incluso. Outro hostel aberto desde os anos 80 é o Young & Happy que fica no Quartier Latin, um bairro histórico de Paris cheio de bares que ficam abertos até altas horas e comida boa, para quem gosta de festa é uma ótima localização. Atrações turísticas como o Panthéon e o Jardim de Luxemburgo também estão pertinho. Além disso, eles têm uma cozinha equipada, o que vai te permitir economizar cozinhando um pouco.
E aí? Já fez suas malas?

📚 Sobre a Autora  📚

Isabela é uma radialista de 23 anos, paulistana até o último fio de cabelo. Mora em Paris e acha que nada é desinteressante o suficiente que não mereça um story no instagram dela.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/paris-com-um-orcamento-brasileiro/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

One Response to “Como conhecer Paris com um orçamento brasileiro”

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.