Os Melhores Lugares Para Visitar No Centro-Oeste

Os Melhores Lugares Para Visitar No Centro-Oeste

Se você é daqueles que, sempre que imagina uma viagem, pensa imediatamente no litoral e em um marzão azul, fique atento, pois o Centro-Oeste está prestes a te surpreender! A região, formada pelos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato do Grosso do Sul e Brasília, vem mostrar que nem todo paraíso precisa de água salgada, pelo contrário… A natureza pode ser generosa de muitas formas, então prepare-se para se fascinar pela imensidão dessas chapadas e por cachoeiras inacreditáveis.

Pirenópolis, Goiás

Tombada como patrimônio nacional, essa cidadezinha no interior de Goiás tem charmosas ruas de pedra, casebres coloniais antigos e cachoeiras incríveis. Vale a pena passar um dia tranquilo pelo centro histórico, conhecendo a arquitetura e aproveitando os cafés deliciosos, dormir no Hostel al Castello (que é um atrativo à parte, lindo demais, com a arquitetura de um castelo, super confortável e com café da manhã incluso) e, no dia seguinte, conhecer as cachoeiras.

Ao todo, próximo a cidade existem cerca de 80 cachoeiras. Eu conheci a Reserva do Abade e amei! A área tem 4 cachoeiras e algumas opções de percurso/trilha. A mais longa tem 2.500m ao todo e te leva até as Cachoeiras do Abade, do Cânion, do Landi e do Sossego. A minha preferida foi a cachoeira do Abade, tem 22 metros de queda e um poço tranquilo para banho.

Salto do Corumbá, Goiás

A cerca de 1h e meia de distância de Brasília, esse destino é perfeito para quem quer dar uma escapadinha da capital e anda por aí acompanhado de “mini-aventureiros”. O local fica dentro de uma propriedade privada, que cobra R$ 45,00 pela entrada, mas tem uma estrutura muito completa: há 2 tobogãs, tirolesa, 3 cachoeiras com trilhas bem sinalizadas e tranquilas. Passar o dia por lá é um delícia!

Como é perto da capital e dá para fazer um bate-e-volta tranquilamente, a dica é se hospedar no Hostel 7, em Brasília. O lugar é confortável, prático e moderninho em todos os detalhes, para combinar com o clima do plano piloto. A localização é ótima, o preço é excelente e ainda tem uma biblioteca e um bar no Hostel.

Na região da Chapada dos Veadeiros, Goiás:

Santa Bárbara e Capivara, em Cavalcante

Ouso dizer que a Santa Bárbara é a cachoeira mais linda que já vi na vida. Localizada dentro da comunidade quilombola Kalunga, essa cachoeira traz um azul hipnotizante, muita história e tradição.

Para chegar até lá, você precisa passar pelo centro de atendimento ao turista (CAT) da comunidade, fechar um passeio com um guia local e um trilha tranquila te leva, em poucos minutos, até o tom de azul mais bonito da sua vida. Chegue cedo para ter a cachoeira sem muita gente e aproveite para descobrir mais sobre a comunidade conversando com o guia (eles são super simpáticos).

Lá no CAT vão te perguntar se você quer fazer o passeio completo, conhecendo também a cachoeira capivara e eu, particularmente, acho que vale muito a pena. A capivara é linda, enorme e imponente. Tem poços por cima e também na parte de baixo. Passar o dia conhecendo essas duas cachoeiras é realmente um programa especial.

Catarata dos Couros

A Catarata dos Couros fica a cerca de 53km de Alto Paraíso de Goiás, ainda é desconhecida por muitos viajantes (talvez porque falte sinalização na estrada, mas, se você não quiser contratar um guia, qualquer aplicativo com mapas te deixa facilmente lá, eu consegui chegar tranquilamente), mas é um deslumbre!

A trilha segue o curso do Rio dos Couros e tem pontos naturais de uma beleza única pelo caminho – sejam os poços, o próprio rio, quedas d’água ou cânions, por lá tem de tudo. Vale ficar o dia todo desbravando a área, a região é grande e aproveitar sem pressa é uma delícia.

Complexo das Loquinhas

Bem próximo da cidade de Alto Paraíso de Goiás, esse complexo é o que tem o acesso mais fácil, é possível ir andando da cidade. O percurso é todo muito bem demarcado, com estrutura em madeira (inclusive decks). Os poços pelo caminho são lindos, uns mais escondidos e menores, outros maiores e mais exuberantes, mas todos te fazem sentir a magia que é estar na Chapada dos Veadeiros.

Trilha do Mirante da Janela

Sem dúvidas, é o melhor visual da Chapada! Uma composição natural pedras, quase de forma inacreditável, cria uma moldura, com o visual do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros ao fundo.

A trilha tem 8km (ida e volta) e durante todo o trajeto te presenteia com a vegetação do cerrado, cristais pelo chão, pássaros variados e o céuzão incrível da chapada! Nas épocas de chuva, há, inclusive, uma cachoeira pelo caminho. Acredito que essa trilha me fez ter noção da imensidão e da energia única desse lugar. Foi, literalmente, um dos meus lugares preferidos. Não deixe de ir!

Para mais dicas sobre a chapada, dá uma olhada neste artigo: Como economizar em uma viagem para a Chapada dos Veadeiros

Pantanal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

O pantanal em si é um bioma, majoritariamente alagado, que abrange diversas cidades do nosso país e também a Bolívia e o Paraguai. Então, aqui eu destaco a cidade de Corumbá que, no Mato Grosso do Sul, divisa com a Bolívia, esbanja biodiversidade e é um local maravilhoso para admirar a vida selvagem.

Cruzando a Estrada Parque, por exemplo, que liga Corumbá até Miranda, é possível encontrar diversos animais, inclusive a onça pintada. Uma outra opção bem comum é também conhecer o pantanal de barco, em média o passeio, fechado com uma empresa local, dura cerca de 3 horas e não é raro encontrar jacarés pelo caminho.

Bonito, Mato Grosso do Sul

Acho que Bonito dispensa grandes apresentações, né? O nome já diz tudo, a natureza faz jus ao nome e o lugar já é bem famoso. De qualquer forma, apesar de ser conhecido, Bonito ainda não está saturado, pois uma coisa super interessante é que a consciência ambiental reina por lá, então as belezas naturais são super preservadas e a cidade continua sendo um destino inigualável. Ah, e claro, faça sua parte e aproveite muito a cidade respeitando sempre o meio ambiente, contribuindo para o turismo responsável.

Como grande destaque da região está a nascente do Rio Baía Bonita, com um tom de azul sem igual, que forma um grande Aquário Natural, em que você pode flutuar juntinho com os mais variados peixes.

Um outro cartão postal é a Gruta do Lago Azul que, com mais de 10 milhões de anos, ostenta uma formação rochosa exuberante, harmonizando com águas azuis cristalinas.

Aproveite para descansar no Papaya Hostel, que tem uma área externa linda, com piscina, churrasqueira, redes… O preço é ótimo, cerca de R$39,00 por noite e a localização é excelente.

Nobres, Mato Grosso do Sul

Uma alternativa incrível, menos conhecida, com rios cristalinos, cheio de peixes, também perfeitos para flutuação, e beeeem mais barato que Bonito é a cidade de Nobres, no Mato Grosso do Sul.

As flutuações principais ocorrem no Rio Salobra (no Aquário Encantado e no Reino Encantado Lagoa Azul que, de fato, são um encanto) e no Rio Triste que, além de peixes, também é o lar de muitas arraias. Ainda tem a Cachoeira Serra Azul, que ostenta uma queda de 45m, uma cor linda e ainda é possível fazer flutuação e tirolesa por lá.

Para os mais aventureiros, a dica é fazer o boia cross pelo Duto do Quedó, ir descendo por cerca de 1.800m e ainda passar por uma caverna de morcegos. No fim da tarde, a boa é aproveitar o por do sol na Lagoa das Araras, que é justamente um santuário da espécie, cheio de ninhos e araras colorindo o céu da região.

Chapada dos Guimarães, Mato Grosso

A Chapada do Guimarães é um município do Estado do Mato Grosso que conta com um Parque Nacional estonteante. O local é de fácil acesso, já que fica perto da capital, Cuiabá, traz a beleza de paredões enormes, vários mirantes para dar a ideia da imensidão do lugar, cachoeiras e uma vida animal super preservada.

O parque pode ser explorado, basicamente, de 4 formas: pelo mirante da cachoeira Véu de Noiva (principal atração e, para quem está com menos tempo, é o ideal); pelo circuito das cachoeiras (7km e passa por várias cachoeiras, como a Sete de Setembro, Do Pulo, Prainha, Degraus, Andorinhas e duas piscinas naturais perfeitas para relaxar no fim do dia); pelo Morro de São Jerônimo (8h de trilha, com várias surpresas pelo caminho: o Jacaré de Pedra, a Pedra Furada e a Mesa do Sacrifício, por exemplo); ou pelo Vale do Rio Claro. Independente da opção escolhida, sem dúvidas o lugar é um encanto.

Agora, tenho certeza que, sabendo um pouquinho mais sobre o Centro-Oeste, expande a mente sobre viagens fora do litoral e dá vontade de conhecer as maravilhas do planalto central, não é mesmo?

📚 Sobre a Autora 📚

Sou a Alice Maffucci. Depois de morar em Nova Iorque, em Lisboa e na Colômbia, assumi que sou dona de um “coração vagabundo que quer guardar o mundo em mim” e de um desassossego permanente na alma que, vira e mexe, me faz por a mochila nas costas – sempre com um livro de poesia dentro. Posto meus devaneios sobre esse mundo aqui no meu Instragram.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/os-melhores-lugares-para-visitar-no-centro-oeste/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Carol Guido

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.