O que fazer em Foz do Iguaçu: roteiro de dois dias na cidade

O que fazer em Foz do Iguaçu: roteiro de dois dias na cidade

Foz do Iguaçu é um destino tão pertinho de nós (somos de Chapecó – SC) e ainda não conhecíamos. A cidade fica no oeste paranaense e faz divisa com Puerto Iguazu na argentina, e Ciudad del Este no Paraguai. A maioria vai para lá pelas Cataratas (ou para fazer umas comprinhas no Paraguai), mas a cidade tem mais atrações legais a oferecer.

Fomos de carro. E como a estrada dos hermanos é sempre melhor, entramos na Argentina por Dionísio Cerqueira e subimos até Puerto Iguazu. Para quem é do sul, aconselhamos fazer isso pois a estrada é muito melhor. Mas lembrando que para trafegar na Argentina é obrigatório ter em mãos o seguro Carta Verde, que pode ser feito em qualquer seguradora no Brasil.

Dia 1

O Parque das Cataratas

Chegamos em Foz do Iguaçu por volta das 15h. Fomos direto para o Parque das Cataratas, já fizemos uma burrada de principiante entrando de carro e tivemos que pagar R$ 22 de estacionamento, sendo que nosso hostel ficava ao lado e dava para ir a pé tranquilamente.

Entramos no parque, compramos os ingressos (R$38 por pessoa) e logo saímos. O parque conta com ônibus que saem a todo momento do Centro de Visitantes e levam até os pontos principais. São três paradas: a entrada da Trilha do Poço Preto, o Macuco Safari (passeio de barco até as quedas) e a entrada da Trilha para as Cataratas.

Nós só descemos na trilha das Cataratas, andamos cerca de 1,2 km observando várias quedas com alguns mirantes disponíveis, até chegar no principal ponto: a majestosa Garganta do Diabo. Lá você passa por uma passarela que leva até pertinho da catarata. É uma queda de 90m!

Prepare-se para se molhar muuuito!  Antes da passarela, você pode comprar capas de chuva se não quiser se molhar (tanto). E claro, prepare-se também para ficar boquiaberto, não tem como não se sentir pequeno perante essa imensidão da natureza.

É muuita água. Quem optar por não usar a capa de chuva, vai sair encharcado, mas completamente refrescado, haha. Só lembrem-se de protegerem seus celulares/câmeras.

Ah, e além disso, no caminho ainda você vai cruzar com quatis, lagartos, pássaros e borboletas. Tudo para te imergir de vez com a natureza e perceber que você é apenas um coadjuvante ali.

No parque, também é possível fazer o Macuco Safari, onde você é levado de bote, pelo leito do rio Iguaçu, até pertinho das quedas dos Três Mosqueteiros. Algumas atividades de ecoturismo, como a Trilha do Poço Preto, e os mais aventureiros podem comprar o combo Macuco Safari + rafting, que você é levado a um ponto mais tranquilo do rio Iguaçu e anda de caiaque nas corredeiras. Também é possível fazer o passeio de helicóptero, que passa por cima das cataratas, mas achamos muito caro e resolvemos não fazer.

Para quem estiver no centro e não está de carro, há ônibus do transporte público que vão até o parque, ou até quem preferir pode pedir um táxi ou uber.

O horário de funcionamento do parque é das 9h às 17h

Onde ficar em Foz do Iguaçu (PR)

Ficamos no Iguassu Eco Hostel. O hostel fica praticamente junto ao parque das Cataratas e do Parque das Aves, mas longe do centro da cidade. Pagamos R$190 para duas diárias (2 pessoas, então, apenas R$40 por noite por pessoa!).

Gostamos muito do ambiente do hostel, em meio às arvores, com muito verde e muita tranquilidade. Tem várias redes espalhadas pelo ambiente onde você pode relaxar ouvindo o canto dos pássaros ou até ler um livro ao lado da piscina.

O preço é bem acessível e a equipe é muito prestativa. Além é claro, de um bom café da manhã que é indispensável (para a gente ao menos).

Aliás, não faltam ótimos hostels em Foz do Iguaçu. Há vários resorts e hotéis de luxo que chamam a atenção, mas também há muitos hostels de boa qualidade e preço acessivel espalhados em Foz.

Dia 2

O Parque das Aves

No nosso segundo dia pela manhã, fomos visitar o Parque das Aves, que nos surpreendeu bastante. O ingresso custou R$45 por pessoa, mas quem for estudante, levando a carteirinha, paga meia entrada.

O Parque é um centro de conservação e recuperação da vida silvestre. Metade das aves foram resgatadas do tráfico ou até de maus tratos. E quando estiverem saudáveis e preparados para voltar para natureza, eles soltam as aves novamente.

Há várias espécies de pássaros, dos mais pequenos aos grandões, como harpias, emus, urubu rei, vários flamingos e muuitas araras! E a cantoria é demais! Se quiser, no final você pode tirar uma foto pertinho das araras!

Ainda é possível admirar répteis de várias espécies, como cobras, iguanas, jacarés, além do borboletário que também te deixa encantado com a diversidade e a quantidade de cores.

Puerto Iguazu

Ainda no segundo dia, fomos para o lado argentino conhecer a feirinha de de Puerto Iguazu, que fica a cerca de 18km de Foz.

A feirinha é bem simples, mas bem bacana. É cheia de cores, sabores, muita comida típica, vinhos, azeites, azeitonas, alfajores, doce de leite…

Para quem não estiver de carro, é possível ir de ônibus. Há empresas que fazem o trajeto com horários de ida a partir das 7h da manhã, com ônibus de hora em hora.

O horário de funcionamento da feirinha é das 10h às 14h, e das 16h às 23h. Fomos às 16hrs, e nem todas as barraquinhas estavam abertas. Mas compramos alguns alfajores e doce de leite.

Não conseguimos conhecer as cataratas do lado Argentino, pois nos atrasamos e chegamos depois das 17hrs, que é o horário que fecha o parque, mas ficou um motivo para retornar a Puerto Iguazu numa próxima viagem.

Na volta para o Brasil, paramos no Duty Free, que fica logo depois da aduana Argentina. O Duty Free é um shopping gigante com várias lojas de marca, com preços mais acessíveis. Porém para nós não valeu a pena, o dólar alto e achamos tudo bem caro.

Gastronomia

Como Foz do Iguaçu é uma cidade muutio turística, há diversas opções de gastronomia, para todos os gostos, desde os mais sofisticados aos mais simples.

Muitos bares, lanchonetes e restaurantes. No primeiro dia jantamos no restaurante Vó Bertila, com várias opções de massas, e um preço bem ok (cerca de R$ 50 uma pizza para duas pessoas).
No segundo dia jantamos no Vô Luiz, que fica em frente a vó Bertila (são restaurantes reais ta? Não são nossos avós), também oferece pizzas e massas.

Em toda viagem damos prioridade para janta e, ao meio dia, apenas lanchamos qualquer coisa para poder aproveitar mais o tempo.

Algumas outras opções de bares/restaurantes:

– Brasa Burguer Hamburgueria e Shawarmeria – Pra quem quer uma refeição rápida, é uma das melhores indicações. Preço justo e bom atendimento, fica aberto praticamente o dia todo e é uma boa pedida pra quem volta de um passeio e quer fazer comer alguma coisa.

– City Bier – Mais uma opção pra comer bem com um precinho camarada. Várias opções de porções servidas em panelas com uma pequena chama que continua esquentando sua refeição, deixando ela quentinha até o final.

– Club Maki – Para os fãs de comida japonesa, o Club Maki tem um ambiente agradável com rodízio de sushi no almoço (segunda a sábado) e jantar (segunda a domingo).

– Mega Pizza –
Uma ótima opção pra quem procura um rodízio de pizza em Foz. Ótimo ambiente e atendimento. Pizzas boas e com sorvete a vontade! :9

– Doce Pão – Uma padaria / restaurante bem aconchegante com uma boa variedade de opções por preço justo e acessível.

– Bendito Bar e Restaurante – Uma ótima opção pra quem busca um buffet por kg, em um lugar agradável e tranquilo. Pra quem vai com criança, tem um espaço kids bem legal.

 

Outras atrações

Como ficamos apenas dois dias, e ainda queríamos ir para o Paraguai, não conhecemos tudo o que Foz do Iguaçu e Puerto Iguazu oferecem, mas vamos citar algumas das opções.

Marco das três fronteiras

O Marco fica localizado um pouco afastado no centro de Foz do Iguaçu e é um dos principais pontos históricos da cidade. Para chegar até lá, você pode ir com mais conforto com alguma agência ou pegar o ônibus da linha 103. Ou ainda, se estiver de carro, tem estacionamento gratuito lá das 14 às 23h. 🙂
O ingresso custa R$ 24 e a bilheteria fica aberta das 10 ás 22h.
O Marco proporciona diversos atrativos, como uma bela arquitetura, um memorial que conta a história da fronteira entre os três países, shows culturais e um mirante como uma ótima vista, principalmente do pôr do sol. 🙂
Pra quem quer ver as apresentações culturais, elas acontecem de terça a domingo, a partir das 19h30, com danças e homenagens às culturas do Brasil, Paraguai e Argentina.

Usina Hidrelétrica de Itaipu

A Usina Hidrelétrica de Itaipu fica a 12km do centro de Foz. Muita gente pensa que ela fica perto das Cataratas, mas ela fica do outro lado, a 31km das quedas.
A Usina passou a ser considerada uma das maravilhas da engenharia civil e foi incluída no Guinness Book como a maior usina hidrelétrica do mundo em operação.

O complexo tem tantos atrativos que você pode gastar um dia inteiro visitando, e a noite também.Entre as atrações, as principais são a visita panorâmica e o circuito especial.

A visita panorâmica é pra quem quer ter uma noção do tamanho geral da barragem de 196m de altura e 7.919m de extensão. A visita começa com a apresentação de um filme sobre a construção da barragem e depois embarca-se em um ônibus para percorrer a usina, passando por dois mirantes de observação e termina passando ao lado e também sobre a barragem.

O valor é de R$ 42 e dura cerca de 2 horas.O circuito especial é mais longo e detalhado, passando por áreas internas da usina até chegar em uma de suas turbinas. O passeio ainda permite observar como é feito o trabalho dentro da sala de comando, onde brasileiros e paraguaios dividem o trabalho. O ingresso inteiro custa R$ 82.

Outro atrativo bastante tradicional é a Iluminação da Barragem. Nas noites de sexta e sábado, a energia produzida na usina se transforma em um belíssimo espetáculo de luzes.
São 747 refletores e 112 luminárias. Um espetáculo embalado por uma trilha sonora que sincroniza com o show de luzes pelos 8km de extensão da barragem.

O valor inteiro por pessoa é R$ 45.

Outras atrações na hidrelétrica são o Refúgio Ecológico, o passeio de Kattamaram, o Ecomuseu e o Polo Astronômico.

Templo Budista

Para desacelerar um pouco a viagem, dar uma breve desligada e relaxada, a visita ao Templo Budista de Chen Tien é uma boa opção.

É considerado o segundo maior templo na América Latina, abriga um centro de estudos e meditação budista. Foi construído em 96 pela comunidade chinesa da região, que era guiada pelo mestre Tong Zhong. Eles seguem a linhagem da Terra Pura, e são devotos ao Buda Amithaba, o Buda da Luz Infinita.

O Templo foi construído às margens do Rio Paraná, onde se tem uma visão do centro de Foz e também da Ciudad Del Este, no Paraguai. Os jardins grandes e verdes possuem mais de 200 estátuas espalhadas pelos jardins, com diversas cores e detalhes incríveis, onde se pode chegar perto e fotografar à vontade. É importante ressaltar que não é permitido tocar nem subir nas plataformas e estátuas, não consumir bebidas alcoólicas, não fazer piqueniques pelos jardins, não entrar com animais, bicicletas e patins, nem fotografar o interior do Templo.

Independente de sua crença, o Templo é um local religioso, de contemplação e oração, por isso, é um local sagrado e deve ser respeitado.

O passeio para o Templo pode ser feito por conta própria ou por agências de turismo. Os horários permitidos para visitação é de terça a domingo, das 9:30h às 16:30h, a entrada é gratuita.

Mesquita Muçulmana

Acidade de Foz se destaca por sua diversidade cultural e religiosa. Um dos passeios mais famosos da cidade é a Mesquita Muçulmana Omar Ibn Al-Khatab, que fica na região central da cidade e tem fácil acesso.
Inaugurada em março de 1983, a Mesquita tem arquitetura baseada em uma das maiores Mesquitas de Jerusalém. Se destaca pela imponência com suas torres de 15 metros de altura e por ser toda branca, contrastando com tudo ao seu redor.
A visitação é grátis e o horário de funcionamento é de segunda à sexta, das 9 ás 11h30, e das 14 às 16h. E nos sábados das 9 às 11h30. Ela fica fechada ao público nos horários em que as orações são feitas.
A Mesquita é toda decorada com trechos do Alcorão e o piso possui demarcações do espaço em que cada um deve se posicionar para fazer as orações.Para entrar, mulheres devem cobrir o rosto e os ombros, como manda os costumes do islã. E homens também não podem entrar de bermudas curtas, que fiquem acima do joelho. 🙂

Há também cassinos no lado argentino, bares de gelo, o museu de cera Deamland, parque aquático, vale dos dinossauros, entre outros. Tem opções para todos os gostos e idades. 😀

Confira o vídeo da viagem: 

📚 Sobre os viajantes 📚

Somos Eduardo Ely e Sara Heffel, catarinenses de Chapecó, apaixonados por viagens de carro, estamos sempre planejando nossa próxima trip. Viver novas experiências, conhecer novas pessoas e culturas e enfrentar o desconhecido nos motivam a seguir em frente. Eduardo, é designer e ilustrador, e a Sara é fotógrafa. Somos freelancers e trabalhamos em casa.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/o-que-fazer-em-foz-do-iguacu/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Iami Gerbase (Hostelworld)

Hi! My (weird) name is Iami and I'm a Brazilian journalist tired of hearing "You don't look Brazilian". I love to taste street food, read at the beach and watch Naked and Afraid. 🌏 Favourite place on earth: Praia de Palmas, SC, Brazil. 🏠 Favourite hostel: Bananas Bungalows, Krabi, Thailand. You can follow my travels on Instagram: @iamigerbase.

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.