O Guia Completo Para Fazer O Caminho De Santiago

O Guia Completo Para Fazer O Caminho De Santiago

O Caminho de Santiago é o sonho de muita gente do mundo todo que imagina desbravar um país (ou mais) de um jeito diferente. Todos os anos, dezenas de milhares de pessoas fazem a rota de peregrinação mais antiga da Europa, percorrendo toda a Espanha de leste a oeste com o objetivo de chegar a Santiago de Compostela. Seja a pé ou de bicicleta, não é preciso ser religioso para percorrer o mesmo caminho que o apóstolo Santiago. Eu mesma fiz por motivos espirituais, como uma forma de me autoconhecer e refletir sobre a vida e minhas escolhas.

Aliás, ainda que seu objetivo seja somente esportivo ou se aventurar, esse processo para dentro de si vai ser meio inerente a sua jornada. E quer aventura maior do que essa, conhecer a si mesmo? Prepare-se para uma das viagens mais transformadoras. Você nunca mais será a mesma pessoa.

Eu sonho em fazer o caminho desde os 13 anos, quando li aquele famoso livro do escritor brasileiro mais lido no mundo, sabe? Esse ano, aos 28 anos, parei de adiar e simplesmente decidi: tô indo.

Peguei um trem de Paris até Saint-Jean-Pier-De-Port, no sul da França, e no dia 06 de setembro de 2019, comecei a minha jornada de 800 km pelo Caminho Francês. Em 33 dias cheguei em Santiago de Compostela e ainda estendi o percurso até Finisterra, lugar conhecido como o Fim do Mundo e onde fica o marco 0 km do Caminho. Ao todo foram 38 dias intensos, com momentos bons e difíceis, rodeada de pessoas de todo o mundo e às vezes sozinha por dias. Reuni aqui as principais informações que você precisa saber pra ir fazer o Caminho. Aproveite esse guia e Buen Camino!

Qual é o seu caminho?

O caminho surgiu a partir da descoberta, no século IX, do túmulo do apóstolo Santiago, um dos doze discípulos de Jesus. Hoje a tumba fica na cripta da Catedral de Santiago, cartão postal da cidade de Santiago de Compostela, capital do estado da Galícia.

Você sabia que existem vários caminhos até Santiago e todos eles são “oficiais”?  Se você percorrer os últimos 100 km a pé, ou 200 km pedalando, você já terá direito à Compostela, documento emitido pela entidade eclesiástica. Os Caminhos mais populares são:

Caminho Francês

Foi o que escolhi fazer. É o mais famoso e bem estruturado, com restaurantes, hostels e cafés e um total de 779 km. Muito bem sinalizado, é também o mais cheio de peregrinos. Normalmente é realizado entre 30 e 35 dias.

Caminho Português

Saindo de Porto ou de Lisboa, vai costeando o norte da Espanha. É um pouco mais curto, com 240 km (Porto) e 640 km (Lisboa).

Caminho do Norte

O mais longo, com quase 900 km. Dizem ser um dos mais lindos, apesar de ter trechos de grande dificuldade, pois percorre às margens da costa.

Caminho Primitivo

Um dos mais curtos, com somente 320 km, porém muito desafiador pela escassez de estrutura, longos trechos sem água e acesso à comida e muitas subidas e descidas. Porém, é lindíssimo. O início fica na cidade de Oviedo.

Em todos eles, você vai encontrar placas com a famosa flecha amarela e a concha apontando a direção certa a seguir. A média é andar entre 20 e 30 quilômetros por dia, seguindo as sugestões de trajetos pré-definidos, mas você é quem faz seu trajeto. Reflita sobre o caminho que mais te agrada e prepare-se para o próximo passo: os itens essenciais.

Quando cheguei em Santiago 

Qual época do ano é a melhor?

Para todos os caminhos, a ideia é a mesma. Abril e Maio são os meses em que a temperatura começa a subir e o clima já está mais agradável para caminhar. Setembro e outubro é fim de verão, também com temperaturas muito agradáveis. Junho, julho e agosto são meses muito quentes e por ser férias na Europa, tudo fica muito cheio, o que pode atrapalhar sua experiência. Portanto, os melhores meses são abril e maio e setembro e outubro. Não é recomendado ir durante o inverno porque além do frio rigoroso, muitos hostels e restaurantes não abrem.

O que comprar e levar?

Dois itens são cruciais para que o seu Caminho seja uma experiência linda e não tão dolorosa. Aconselho que você escolha-os com muito carinho, sem pressa, e consciente de que eles são ESSENCIAIS para você evitar lesões.

  • Bota/tênis: Compre com no mínimo dois meses de antecedência. Vá em uma loja especializada e prove várias botas e tênis específicos para trekking. Teste de tudo, cano alto, médio, baixo… Não precisa ser um calçado mega pesado e técnico, porque não há escalada, mas ele precisa ser específico para evitar torções no tornozelo e o atrito na ponta dos pés. Prove os modelos e ande bastante na loja para sentir se está realmente se sentindo confortável e não está pegando em nenhum cantinho. Depois de comprado, comece a usar seu calçado todos os dias para ir laceando. Faça trilhas de todos os tipos, com subida, descida e de longas distâncias. Entenda que você vai andar entre 20 a 30 km diariamente e seu pé não está acostumado a fazer tanto esforço.
  • Mochila: A mochila é o segundo item mais importante. Eu quase comprei a minha pela Internet e teria cometido um grave erro. Na loja eu pude testá-la e com a ajuda do vendedor especializado, escolhi um modelo que se adequou perfeitamente ao meu biotipo. É importante que a mochila tenha regulagens para distribuir uniformemente o peso pelo quadril e costas, com presilhas no quadril e nos ombros.

Item muito importante:

  • Dica de quem não teve nenhuma bolha em todo o trajeto: APOSTE EM MEIAS INCRÍVEIS.

Quase tão importante quando as botas é a escolha das meias. A boa notícia é que aqui não tem segredo. Evite as de tecido de algodão, que retém umidade. Os melhores modelos são com a tecnologia CoolMax e sem costuras, pois as fibras transportam toda a umidade para a superfície externa do tecido. Resultado: seu pé transpira livremente, mas permanece seco. É esse cuidado que vai ajudar você a não ter bolhas, viu? A bolha surge do atrito da pele com a bota e a umidade aumenta essa fricção. Uma dica de ouro é trocar de meia a cada 2 horas ou sempre que sentir os pés úmidos.

O que levar (de acordo com minha experiência)

Para evitar que você se machuque e inclusive manter os seus pés intactos (afinal, quem mesmo que suporta todo o peso do seu corpo?), sua mala não pode ter mais que 10 % do seu peso.

Eu sou uma mulher pequena e para mim, foi impossível levar o básico em uma mala com somente 5 kg. Consegui deixá-la com 7 kg, já incluindo uma garrafa de água cheia que eu levava sempre comigo e um lanche ou uma frutinha, por segurança. Funcionou bem, mas quanto mais leve for sua mochila, melhor pra você. Aprender a lidar com o desapego é uma das primeiras lições que todo peregrino desenvolve. Acredite!

Lista das coisas que levei:

  • 2 calças que viram bermuda de tactel (secagem rápida)
  • 1 calça legging (comprei lá e abandonei a outra calça/bermuda)
  • 1 shorts levinho para usar depois do banho para passear pela cidade, descansar e dormir
  • 2 camisetas de manga curta em tecido dry fit com secagem rápida
  • 1 camiseta de manga longa dry fit
  • 1 fleece (blusa de manga longa mais quentinha)
  • 1 casaco corta-vento impermeável
  • 3 calcinhas
  • 2 tops
  • 3 pares de meia
  • 1 bota
  • 1 papete (não usei porque não tive problemas com a bota, mas sugiro fortemente que você leve uma para caso tenha algum problema com seu outro calçado)
  • 1 chinelo (usava no banho, dentro dos hostels e para passear. Foi crucial para os meus pés descansarem)
  • 1 capa de chuva (estilo poncho, que cobria a mochila)
  • 1 lanterna de cabeça (super prática para caminhar com as mãos livres)
  • 1 chapéu
  • 1 óculos de sol
  • 1 canivete (tesoura, faquinha, abridor de vinho)
  • 1 toalha de microfibra
  • 5 grampos de roupa (alguns albergues não tem e você também pode pendurar na sua mochila o que ainda estiver molhado para ir secando enquanto você caminha. Essa prática é bem comum e você vai ver muitos peregrinos com a mochila cheia de roupas penduradas)
  • 1 par de sticks de caminhada (sim, eles fazem toda a diferença)
  • Celular
  • Power Bank
  • T
  • Passaporte
  • Dinheiro
  • Cartão
  • Doleira (deixava dentro o passaporte, dinheiro e cartão e estava sempre comigo, inclusive no banho e para dormir)
  • Shampoo/condicionador/escova de cabelo
  • Pasta de dente/escova/fio dental/enxaguante bucal
  • Desodorante
  • Cortador de Unha
  • Sabonete líquido
  • Sabão de coco para lavar roupa

Se você toma algum remédio de uso contínuo, leve em quantidade suficiente para todo o Caminho. Remédios de uso esporádico, como anti-inflamatórios e analgésicos, podem ser encontrados com facilidade se você precisar.

Eu tive a sorte de não ter ficado doente e só precisei comprar uma pomada anti-inflamatória natural.

Como se preparar?

Galera, eu ouvi relatos de pessoas que se prepararam por meses e mesmo assim tiveram lesões e também vi gente que disse não ter feito absolutamente nada como preparatório e terminou o caminho ileso. Acho que isso é bem relativo, mas o que aconselho é, se você não está habituado a caminhar, insira essa prática na sua rotina para seu corpo já ir se acostumando. Caminhar entre 10 e 20 km pode ser um bom preparo para os seus pés e suas pernas. Não esquece de levar a mochila com um peso dentro também para fortalecer ombros, costas e quadril.

Eu faço academia diariamente há mais de dois anos e também corro duas vezes por semana. Acho que meu condicionamento físico estava bom o suficiente para eu não ter tido nenhuma complicação. De qualquer maneira, eu chegava nos albergues depois da caminhada e já fazia uma longa sessão de alongamento, além de ter bebido muita água.

As temidas bolhas – Como evitá-las?

  • Muita gente passa vaselina no pé inteiro para evitar o atrito. Pareceu ser super eficiente e sugiro que você tente nos seus treinos.
  • Pré-caminho: use suas botas todos os dias. JAMAIS comece a caminhada com botas novas.
  • Mantenha as unhas do pé sempre bem curtas, o máximo que conseguir. Vi dezenas de peregrinos com os dedos roxos e a unha preta, quase caindo, por conta do atrito com a bota.
  • Troque as meias. SEMPRE! No máximo a cada duas horas. Aproveite esse momento para uma pausa.
  • A principal dica para evitar bolhas e qualquer outra lesão ou complicação é: escute o seu corpo. Se sentir alguma coisa diferente, mesmo que seja só um leve incômodo, pare, tome uma água e verifique se há algo que possa ser feito naquele exato momento para evitar que o que está “pequeno” torne-se grande e comece a te incomodar de fato.
  • Siga o seu ritmo. O Caminho não é uma corrida ou uma competição.

Quanto dinheiro levar e qual a moeda?

A moeda usada é o euro. As caixas ATMs são encontradas facilmente caso você precise sacar. Alguns estabelecimentos aceitam cartão, mas não é comum.

Sobre a média de gastos

Total diário: entre 20 (modo economia hard) e 40 (modo confortável) euros diários.

Descritivo:

– Hospedagem: de 5 a 20 euros a diária, dependendo do que você procura.

– Alimentação: de 15 a 20 euros diários.

  • O café da manhã custa mais ou menos 3 euros e inclui tostadas (uma fatia grande de pão torrado com manteiga e geleia) e café.
  • Menu do peregrino para o almoço ou jantar: Inclui o 1º prato, o 2º prato, sobremesa e pão e vinho à vontade. O primeiro prato é como uma entrada, tipo salada, macarrão ou risoto, e o segundo é o prato principal, com peixe, porco, carneiro, frango ou carne. Custa entre 9 a 13 euros, dependendo do lugar e da cidade.
  • Você pode encher a garrafa com água potável em praticamente qualquer torneira. Há avisos informando, mas na dúvida, pergunte.
  • Para economizar, você pode fazer compras no mercado e preparar você mesmo suas refeições nos hostels. Eu confesso que fiz isso poucas vezes porque estava quase sempre cansada demais para cozinhar e lavar louças, mas acho inclusive uma forma incrível de interagir com outros peregrinos. Por que não fazer uma ceia comunitária?

Outros gastos:

  • Lavar roupas: entre 3 a 4 euros a maquinada (divida com mais peregrinos para economizar)
  • Você pode ter algum imprevisto ou ter que comprar remédios, então considere mais um pouquinho de dinheiro para isso.

Onde Ficar?

Tem opções para todos os gostos e bolsos:

  • Albergues municipais ou paroquiais (não aceitam reserva e podem estar lotados no horário que você chegar – Entre 5 a 7 euros)
  • Albergues privados e hostels – Uma ótima opção se você não quer caminhar com tanta pressa e ter a garantia de um lugar tranquilo pra dormir – Entre 8 a 17 euros em quarto compartilhado e acima de 25 em quarto individual.

Normalmente, os albergues e hostels não permitem que você se hospede por mais de uma noite e exigem que você saia antes das 8 am. Prepare-se para acordar bem cedo.

Uma das partes mais incríveis do Caminho é conhecer pessoas do mundo todo. Essa troca cultural não tem preço. Aproveite esses momentos para socializar e saber mais sobre a história dos peregrinos. Você vai se surpreender!

Aplicativos Úteis

Buen Camino: o app tem um mapa que você pode ir acompanhando de acordo com sua localização em tempo real para evitar sair da rota e se perder. Além disso, ele diz a distância para a próxima cidade e também mostra a relação das opções de hospedagem disponíveis lá.

Se quiser silêncio e andar sozinho, assim vai ser. Se quiser conhecer pessoas, também. O caminho é como a vida e nem sempre você estará disposto a socializar. Respeite seus momentos, sinta com intensidade. É uma experiência única em que sua única preocupação será caminhar e desfrutar.

Existe uma máxima entre os peregrinos que diz: O Caminho se faz Caminhando. É a mais pura verdade. Você até pode querer programar toda a sua jornada, preparar um roteiro com tudo esquematizado e prever cada etapa, mas logo vai perceber que o melhor a fazer é entrar no flow e deixar que o caminho se mostre pra você. É surrealmente mágico deixar que as coisas simplesmente aconteçam e sejam como tem que ser, e não como você quer que elas sejam.

Foi uma das experiências mais incríveis que já vivi e sei que para você também será inesquecível. Buen Camino!

Hostels No Caminho

Pamplona – Xarma Hostel – Aterpea – Nota 9,0

Localizado a 10 minutos a pé da Catedral de Pamplona, O Xarma Hostel oferece cozinha equipada, sala de estar com sofás cortáveis para descanso e ainda um terraço com jardim para você relaxar depois de um longo dia de caminhada. Quartos compartilhados com 6 e 4 camas e também quartos privativos.

Logrono – Albergue Albas – Nota 9,2

Esse pequeno e aconchegante albergue fica muito bem localizado no centro de Logrono, cercado de mercado e restaurantes. Os quartos são para 2, 4 e 8 pessoas, todos com banheiros compartilhados. A cozinha conta com micro ondas, geladeira e máquina de café.

Burgos – Hotel Rey Arturo – Nota 8,7

Localizado em uma tranquila região de Burgos, rodeado por jardins, o Hotel Rey Arturo tem 52 quartos, todos com banheiro completo, aquecimento, secador de cabelo e TV via satélite. Uma ótima pedida para descansar depois de dias de caminhada.

León – LeonHostel – Nota 9,4

Localizado em um edifício histórico em uma das mais requisitadas ruas da cidade velha, o Hotel fica a apenas 50 metros da Catedral. Opção de quartos privativos ou compartilhados, todos com vista para a rua. Aproveite a varanda para relaxar e conhecer outros peregrinos.

Sarria – Hostel Andaina – Nota 9,3

No coração do Caminho de Santiago, esse hostel fica próximo a mercados, farmácias e restaurantes. Eles tem 26 quartos-cápsulas, sala de estar, cozinha compartilhada e lavanderia. Aproveite para repor as energias porque em Sarria você está na reta final, a quase 100 km de Santiago de Compostela.

Santiago de Compostela – Roots and Boots Hostel  – Nota 8,7

Primeiro, parabéns! Você conseguiu! Depois dessa longa jornada, o melhor presente que você pode se dar são bons momentos de descanso. Localizado na old town, o hostel conta com uma bela vista da fachada principal da Catedral de Santiago de Compostela, um jardim enorme com árvores centenárias, churrasqueira e um staff pronto para te dar todas as informações sobre a cidade.

📚 Sobre A Autora 📚

Leticia Mueller é jornalista e em agosto de 2019 saiu de casa para uma jornada de volta ao mundo sem data para voltar. O objetivo? Realizar todos os seus sonhos de viagem. Não conta países nem coleciona carimbos no passaporte, mas vive cada momento como se fosse o único. Por conta disso está cada vez mais deixando de lado os roteiros pré-programados e assumindo o modo flow de viajar. Siga suas aventuras no Instagram. 

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/o-guia-completo-para-fazer-o-caminho-de-santiago/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.