Seis motivos que fazem de Valparaíso o melhor destino Chile para mochileiros

Seis motivos que fazem de Valparaíso o melhor destino Chile para mochileiros

Desleixada e fancy, boêmia, multicolorida, cheia de barzinhos e restaurantes, hostels descolados e ateliês de artistas: descubra porque Valparaíso é o destino mais mochileiro do Chile.

Aqui vão os motivos pelos quais você PRECISA visitar essa cidade.

1. Visitar os pontos turísticos é barato – ou grátis

Para começar sua estadia bem (e gastando pouco) faça um free walking tour – aqueles passeios guiados a pé com base em gorjetas. A Free Tour Valparaíso tem saídas em português, espanhol e inglês todos os dias às 10h e às 15h, com início na Praça Aníbal Pinto, no centro. Não é necessário reservar e no fim do passeio, que dura três horas, é sugerida uma gorjeta de 5.000 pesos chilenos (R$ 28). A contribuição é opcional, mas não esqueça que esse é o trabalho dos guias 😉

Outra atração muito barata na cidade é andar nos ascensores, funiculares que ligam El Plan (a parte baixa e plana da cidade) aos cerros (os morros, onde estão a maioria dos bairros). Os mais famoso é o Ascensor Artillería, que liga o cerro de mesmo nome à região portuária, e custa 300 pesos (R$ 1,70).

Além disso, os melhores atrativos turísticos de Valparaíso estão a céu aberto – e grátis. São as casinhas coloridas, os murais dos artistas, os edifícios históricos e a vista da cidade.

2. É a cidade mais instagramável do país

Em Valparaíso, cada ladeira é um click. Sem sombra de dúvida, os entusiastas da fotografia terão dificuldade para se controlar na capital chilena do street art: a vontade é tirar uma foto em frente a cada mural. Nas pinturas mais famosas (como a “Escadaria de Piano”, na Pasaje Beethoven, a pintura “We are not Hippies, we are Happies” e o mural “Ekeko” do grafiteiro Inti Castro) os visitantes formam até fila para tirar foto.

Escadaria de Piano

 

Ekeko, de Inti. Foto

Além dos grafittis, Valpo tem dezenas de casas (especialmente nos cerros Alegre e Concepción) que são cobertas de zinco e pintadas em cores vibrantes. Algumas ruas fazem o viajante sentir que está no Caminito, em Buenos Aires, e assim como na cidade portuária argentina, em Valparaíso o metal é usado para proteger as casas da oxidação marítima.

Casinhas coloridas com fachada de zinco

Junte tudo isso ao fato de que a cidade é formada por 42 morros que estão em forma de anfiteatro à beira-mar. Impossível não se apaixonar – e não tirar um milhão de fotos.

3. Do litrão de cerveja aos drinks de autor, a noite é imperdível

Não cometa o pecado de tomar o tour bate-e-volta que sai de Santiago pela manhã, visita Valparaíso e Viña del Mar e volta para a capital no final da tarde. É quando o sol se põe no Pacífico, deixando as casas coloridas ainda mais charmosas, que a diversão começa.

A cidade é conhecida no país pelos bares onde artistas, turistas, universitários e locais se encontram para tomar uma cerveja (ou um vinho, um pisco, um coquetel…) e jogar conversa fora até amanhecer. Os bares estão localizados principalmente nos cerros Alegre (o mais movimentado de todos), Concepción e no Plan .

Para quem gosta de drinks sofisticados e boa música, a pedida é o El Bar (Pasaje Gálvez 223, Cerro Concepción, aberto de quinta a domingo, das 19h às 5h). Para os amantes da cerveja, a Casa Cervecera Altamira (Av. Elias 126, em frente ao Ascensor Reina Victoria, aberto de segunda a quinta, das 17h à meia-noite, sextas e sábados das 17h à 1h) tem rótulos artesanais feitos na própria casa.

Viajando de olho no orçamento? As botillerías (mercearias que vendem basicamente bebidas alcoólicas) e lojinhas que vendem empanadas a preços mochileiros ficam abertos até de madrugada. Embora em Valparaíso todo mundo beba nas ruas e praças, no Chile é proibido consumir álcool em lugares públicos. Vale a pena ficar atento à fiscalização para não ter dor de cabeça.

4.  É uma cidade cosmopolita, cheia de história e arte

No fim do século XIX Valparaíso era uma das cidades mais importantes do Chile, parada obrigatória para os navios que iam do Atlântico ao Pacífico (você vai aprender isso no walking tour). A cidade foi recebendo imigrantes (especialmente europeus e estadunidenses) e chilenos que estabeleceram suas vidas por lá. Essa época de “vacas gordas” da história porteña (assim são chamados os moradores de Valparaíso, mais uma coincidência com Buenos Aires) se pode conhecer em lugares como o Paseo Atkinson, o Cerro Alegre e a Avenida Gran Bretaña, onde estão algumas das casonas dos milionários da época.

Casarão no Cerro Alegre

Com a construção do Canal do Panamá, em 1914, Valpo entrou em decadência econômica mas manteve sua aura cosmopolita. Isso somado a uma vibrante vida universitária fez com que a cidade logo se tornasse um reduto de artistas e intelectuais.

O mais famoso deles, o poeta Pablo Neruda, teve uma casa na cidade: La Sebastiana atualmente é um museu aberto à visitação (Ferrari, 692, aberto de terça a domingo, das 10h às 18h, a entrada custa 7.000 pesos – R$ 40)

Em 2003, o centro histórico foi declarado Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO. Desde então a cidade tem recebido investimentos e um empurrãozinho do governo para reforçar sua vocação turística e artística. Um dos exemplos dessas mudanças recentes é o Parque Cultural, a antiga cadeia de Valparaíso – onde foram encarcerados e torturados os presos políticos da ditadura de Pinochet – hoje é um espaço com teatro, salas para apresentações de dança e exposições de arte.

5. É fácil, confortável e barato chegar até lá desde Santiago

Ônibus intermunicipais saem cada 10-20 minutos de quatro rodoviárias diferentes na capital, todas com ligação direta com o metrô: San Borja (metrô Estación Central), Alameda e Terminal Sul (metrô Universidad de Santiago) e Pajaritos (metrô Pajaritos). A viagem dura entre 1h e 1h30 e a passagem custa entre 2000 e 7000 pesos chilenos (11 a 40 reais).

No Chile, os preços das passagens de ônibus variam conforme a demanda, assim como as de avião no Brasil. Os ônibus entre Valparaíso e Santiago têm os preços mais altos no verão, nos fins de semana e feriados.

Usando o transporte público urbano (ônibus e metrô – que funcionam bastante bem por lá) é possível chegar à vizinha Viña del Mar, o destino de praia mais clássico do país. Ao contrário da vibrante Valparaíso, Viña é tão arrumadinha que mais parece ter saído da Riviera Francesa que do litoral do Chile.

A passagem varia dependendo do ponto de partida e chegada, mas não costuma custar mais que 500 pesos (R$ 2,80). Ainda em transporte público se chega a outras praias bem turísticas, como Reñaca e Concón.

6. Tem hostels charmosos e com vista para o mar

Planeta Lindo, o hostel melhor avaliado da cidade também tem diárias que cabem no orçamento mochileiro. Com uma localização super central – no Cerro Alegre – o Planeta Lindo ainda conta com um rooftop com vista para o mar, perfeito para descansar as pernas e tomar aquele drink depois de um dia batendo perna pela cidade.

 

Hostal Acuarela é colorido como o próprio nome sugere. A fachada é decorada por um mural feito em regime de work exchange (do artista ficou hospedado a convite do hostel enquanto pintava a obra) pelo grafiteiro Mono Type. Dentro, a roupa de cama, paredes e a decoração tem tons vibrantes. Com uma localização excelente no Cerro Alegre e café da manhã incluído, o Acuarela é uma opção cool e econômica em Valparaíso.

Valparaíso é artista, tem a personalidade forte, é caótica e encantadora ao mesmo tempo. É uma cidade para se apaixonar ou odiar. No meu caso, foi amor.

📚 Sobre a Autora 📚

Mila de Oliveira é jornalista, adora viajar lento e escrever. Acredita que viajar é uma atitude libertadora para as mulheres e por isso compartilha seus rolês como solo traveller no blog Saia Pelo Mundo e no Instagram @saiapelomundo.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/motivos-que-fazem-de-valparaiso-o-melhor-destino-chile-para-mochileiros/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.