Dois dias em Montevidéu? Saiba como curtir a capital do Uruguai ao máximo!

Dois dias em Montevidéu? Saiba como curtir a capital do Uruguai ao máximo!

É difícil não se apaixonar intensamente por Montevidéu, a charmosa capital do Uruguai. Cerca de um terço da população total desse país vive por lá, o que faz com que a cidade seja sempre agitada e culturalmente rica. No entanto, o clima é um pouco diferente do que estamos acostumados nas outras capitais do mundo: Montevidéu também pode oferecer uma atmosfera mais tranquila, perfeita para relaxar, seja tomando um mate na praia de Pocitos, caminhando pela rambla ou comendo um delicioso chivito, que é uma das comidas locais que não podem faltar no seu roteiro.

Em muitos lugares você pode até ler que Montevidéu é uma cidade mais pacata do que as demais, mas é isso que justamente faz todo o charme da capital uruguaia. Desacelerar um pouco a vida é uma das principais atrações turísticas, até porque há muito a se observar por lá. Você pode observar o quanto os momentos de descanso são importantes para os locais e aprender um pouco com esse estilo de vida também.

Se a sua parada por lá vai ser rápida, o melhor a se fazer é buscar formas de aproveitar este lugar incrível ao máximo. Montevidéu oferece diversas opções de lazer – e, o melhor de tudo, você paga muito pouco ou nada por várias delas, o que é perfeito para quem está com a mochila nas costas e tem muito o que aproveitar. Pela proximidade do Brasil, o idioma nem sempre é uma barreira. Pode ser difícil compreender o espanhol dos uruguaios, que possuem um dialeto recheado de palavras próprias, mas todo mundo faz um esforço para se entender. Não é a toa que este é um dos destinos mais visitados pelos turistas brasileiros.

Nós separamos algumas dicas que podem te ajudar a montar um roteiro especial na sua viagem para Montevidéu.

1 – Caminhar pelo centro histórico

Fazer uma caminhada pelo centro histórico de Montevidéu, ou Ciudad Vieja, como chamam os locais, é ponto obrigatório na sua viagem para a cidade. Afinal, é lá que você vai se deparar com o Teatro Solís, cuja arquitetura se assemelha a alguns teatros líricos italianos, como o Carlo Felice, em Gênova e o Teatro alla Scala, em Milão. Há a oportunidade de fazer uma visita guiada para conhecer a estrutura por dentro por menos de R$10 (90 pesos uruguaios), em português, inglês ou francês. Se você for em uma quarta-feira, melhor ainda: as visitas guiadas são gratuitas (mais informações no site do teatro).

Ainda na Plaza Independência, você pode visitar o mausoléu dedicado a José Gervasio Artigas, herói nacional do país. Antes, separando a cidade antiga da cidade nova, havia uma fortaleza militar, a Ciudadela. A estrutura que sustentava a sua porta ainda está exposta por lá – e é neste lugar que você pode observar a diferença da arquitetura das duas partes do centro. Outro lugar no qual você ainda pode fazer uma visita guiada é o Palácio Salvo, um edifício desenhado pelo arquiteto italiano Mario Palanti que é um outro marco imperdível. É um pouquinho mais caro do que o Teatro Solís (cerca de R$22, ou 200 pesos uruguaios), mas para quem gosta de ouvir uma boa história, vale a pena: o guia é Daniel Elissalde, que é um dos autores do livro “Historias del Palacio Salvo”. Essa visita ocorre todas as terças, quintas e sábados, no período da tarde. Nos arredores, ainda vale a pena caminhar até o Mercado del Puerto, onde a gastronomia é o ponto alto e você pode dar a sorte de assistir a um show de tango na rua (sim, os uruguaios e os argentinos brigam a todo o tempo para saber quem é o verdadeiro dono do tango!).

Para não perder nenhum desses pontos de importância, você pode optar pelo Free Walking Tour, que é realizado todos os dias da semana partindo do mausoléu de José Artigas.

2 – Aproveitar a culinária local

Que os uruguaios gostam de um bom churrasco, ou, como dizem os locais, asado, isso não é nenhuma novidade. Mas, quando estamos em Montevidéu, não são poucos os lugares que passamos que vendem o prato mais famoso, o chivito. O chivito está para os uruguaios como o cachorro-quente lotado de purê está para São Paulo. É simplesmente um sanduíche com tudo dentro, a gosto do freguês. O tradicional tem um pão recheado com ovo cozido, carne vermelha, tomate, presunto, azeitona, bacon, alface, queijo… Se você acha que não dá conta de comer isso em algumas mordidas, não tem problema: algumas versões fazem o chivito no prato. E há muitas opções também para os vegetarianos e os veganos, já que essa comida tradicional pode ser adaptada com a mesma abundância.

Outro prato de rua bastante popular no Uruguai é o choripán. Para quem já visitou a Argentina, esse é um velho conhecido: pão e linguiça, podendo ser acompanhado de chimichurri, o tempero delicioso que os argentinos e uruguaios colocam em suas carnes ou de salsa criolla, que é algo parecido com o nosso vinagrete. Tanto o chivito quanto o choripán são fáceis de encontrar – e, o melhor de tudo, sempre saem bastante em conta e valem por uma refeição.

O Uruguai e a Argentina ainda compartilham outras duas coisas deliciosas: o doce de leite e o alfajor. E estes também são muito fáceis de encontrar nos supermercados ou em várias lojinhas espalhadas pelo centro.

Se você quer almoçar como um verdadeiro uruguaio, não deixe de procurar um bom prato de milanesa com fritas. Ela pode ser de carne ou de frango e geralmente é enorme. Na cobertura, também existem várias opções ao gosto do freguês. Esse é praticamente o “arroz com feijão” do uruguaio. E, para aproveitar um asado, também não é difícil encontrar carnes a la parrilla para saborear essa parte toda especial da gastronomia uruguaia.

3 – Passar um tempo em Pocitos

É difícil não se apaixonar pela Praia de Pocitos, um dos cartões postais de Montevideo. Ela é localizada em um bairro residencial, mas é justamente um ponto de contraste a tudo que está em sua volta. Sua areia é bem fininha e branca e a atmosfera é totalmente diferente de uma praia no Brasil: ela é feita para relaxar. Você pode até encontrar uma barraquinha ou outra vendendo comida, mas é lá que os moradores de Montevidéu vão passar um tempo agradável, geralmente na companhia de um mate. A presença de Pocitos, que abriga uma parte moderna de Montevidéu à sua volta, é um dos pontos essenciais que conferem a calmaria a essa cidade da América Latina. A praia parece estar ali lembrando a todos que sempre existe um tempo para descansar a cabeça e deixar os problemas de lado.

O calçadão que margeia Pocitos e a outras praias formadas pelo Rio da Prata, a chamada rambla, é um lugar para aprender um monte sobre a cultura uruguaia e do dia a dia de seus habitantes. Vale a pena separar um tempo da sua viagem para percorrer todo esse trecho e respirar um pouco, parar um tempo apenas para pensar e contemplar a paisagem.

É também na rambla de Pocitos que você encontra o famoso letreiro de Montevidéu. O clique perfeito pode ser um pouco difícil de ser feito, já que é um ponto lotado de turistas e também de locais, mas este também é mais um convite para desacelerar. Aproveite esse tempo precioso na sua viagem – é legal ficar observando as crianças brincando com o letreiro, as diversas pessoas que passam por esse ponto diariamente e também sentar nas pedras que estão ali por perto para curtir o pôr do sol nesse lugar especial.

Outros lugares bons para relaxar em Montevidéu são o Jardim Botânico e o Parque Rodó, este último que não é difícil de encontrar se você for caminhando pela rambla. Ele fica perto da praia Ramírez, onde estão localizados alguns bares nos quais você pode ouvir uma boa música e tomar uma cervejinha e, aos domingos, também há uma feirinha de artesanato por lá.

4-  Assistir a um jogo de futebol com os locais

Para quem gosta de futebol, Montevidéu também é um prato cheio. Para quem não gosta tanto assim, também pode valer a pena conhecer um pouco da cultura que existe em torno desse esporte no país. Afinal, os uruguaios são loucos por futebol. E a cidade deixa isso bem claro: não é difícil se deparar com um estádio ou um centro de treinamento ou ao mesmo uma referência qualquer ao esporte ao caminhar pelas ruas.

O ponto turístico mais famoso nesse sentido é o Estádio Centenário. Ele também abriga o Museu do Futebol, que é o primeiro do tipo no mundo. Ele foi inaugurado em 1975 e é um dos pontos mais visitados pelos turistas que desembarcam na cidade. O próprio estádio também foi declarado pela FIFA como um “Monumento Histórico do Futebol Mundial”. Ele é a casa da seleção uruguaia e também de qualquer equipe do país que deseje mandar seus jogos por lá. A entrada no museu custa em torno de R$11 (100 pesos uruguaios), enquanto as partidas de futebol têm custos variados – vale a pena dar uma olhada na agenda quando você estiver na cidade para saber se tem algo interessante para assistir.

Caso contrário, você sempre pode ir assistir a um jogo de futebol no bar. Os uruguaios sempre estão com as emoções à flor da pele enquanto assistem as suas partidas e um clássico, seja entre a seleção uruguaia e um país como Brasil ou Argentina ou entre seus principais times, Peñarol e Nacional, pode ser uma atração imperdível que não está em nenhum guia de viagem, mesmo que você esteja lá, vendo pela televisão e comemorando com os locais.

5 – Por fim, VINHO!

É difícil passar por Montevidéu e não experimentar um autêntico vinho uruguaio. Muitas pessoas costumam dizer que, nos bares e restaurantes, “a água e o vinho custam a mesma coisa, por isso, tome sempre vinho!” – e, apesar de termos que relembrar aqui que estar bem hidratado é importante para curtir a sua viagem ao máximo, essa frase costuma ser uma grande verdade.

Para quem passa mais dias na capital uruguaia, existem algumas opções para realizar passeios em vinícolas e bodegas e conhecer um pouco mais do processo de produção dessa bebida por lá. Mas é nos supermercados uruguaios que você pode encontrar vinhos incríveis e pagar muito pouco por eles. Seja qual for o seu tipo de vinho preferido, as prateleiras estão recheadas de opções baratas. O consumo de vinhos no Uruguai é de 24,5 litros per capita – ou seja, dá pra ver que essa é uma prioridade por lá.

Se você quer experimentar um vinho autenticamente uruguaio, procure pela variedade Tannat. São vinhos mais concentrados e cheios de fruta, que os uruguaios consideram como os parceiros ideais de seus famosos churrascos. Outras variedades mais conhecidas, como Merlot e Cabernet Sauvignon, também são muito consumidas no país e facilmente encontradas.

Onde se hospedar em Montevidéu, Uruguai?

Escolher o melhor hostel também faz parte de aproveitar a experiência de Montevidéu ao máximo. No Buenas Vibras Hostel, por exemplo, você pode aproveitar de uma localização perfeita: apenas cinco minutos da rambla e no coração da vida noturna de Montevideo! Por lá, ainda há diversas áreas comunais e até mesmo um espaço para fazer churrasco.

Para quem quer uma vibe mais cool, o MedioMundo  está perto do Parque Rodó e perto de lojas de design, feiras e também da vida noturna toda especial dessa cidade. É uma ótima localização para quem gosta de caminhar e também tem fácil acesso para o transporte público que leva a vários pontos de interesse.

E aí, sentiu falta de alguma dica por aqui? Gostaríamos de ouvir suas experiências nos comentários!

📚 Sobre A Autora 📚

Jornalista e acadêmica. Viajar sozinha é uma das minhas paixões. Nascida e criada em Campinas, São Paulo e vivendo em Darmstadt, na Alemanha.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/dois-dias-em-montevideu/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.