10 dicas para viajar sozinha pela Europa

10 dicas para viajar sozinha pela Europa

“Ah, mas você vai sozinha mesmo? Não é muito perigoso?” é uma frase que mulheres que viajam sozinhas costumam ouvir com frequência. Elas podem aparecer mais ou menos vezes nas bocas dos amigos e familiares dependendo do destino. Sim, viajar para Europa é de forma geral mais seguro do que outros destinos como África do Sul e Nicarágua, por exemplo. Até mais segura do que estamos acostumadas no Brasil. Mas ainda sim existem riscos.

Para que viajar sozinha continue sendo uma aventura maravilhosa de auto conhecimento e não um pesadelo, ainda é preciso tomar alguns cuidados. A Europa é menos perigosa, mas ainda sim é outro continente e é preciso ficar atenta a algumas coisas.

1. Fique de olho na sua bebida

best bars in copenhagen copenhagen street food @mikkehe

📷@mikkehe

Tá, essa é velha. Sua mãe já te dizia isso. Você nunca larga o copo em uma festa. Você já sabe. Mas além de valer a pena repetir, aqui a gente vai um pouco mais longe: veja o garçom ou bartender servir a cerveja no copo/abrir ela na sua frente. Vá no banheiro antes de pedir a bebida e, caso você tenha ido no bar com outras pessoas que conheceu durante a viagem, evite ir no banheiro enquanto não tiver terminado de beber o seu copo. Mesmo que pareça inofensivo, é importante saber que a sua bebida ficou sob sua supervisão o tempo todo.

Isso porque existem uma quantidade considerável de mulheres que passaram por situações similares em países da europa. Existem casos de homens que pagam os bartenders para colocarem as drogas nas bebidas das vítimas. Na Polônia, uma campanha para alertar sobre drogas nas bebidas já está em vigor há alguns anos. Fique de olho no seu copo.

2. Tenha internet

Muita gente que vai viajar por pouco tempo prefere não comprar um chip e aproveitar apenas a internet do hostel e dos wifis gratuitos em estabelecimentos na cidade. O que é completamente válido. Mas ter internet pode ajudar e muito na questão da segurança. Isso porque estando em uma cidade desconhecida, se perder é algo que pode acontecer. E não dá para contar com um wifi por perto.

Além disso, pedir um Uber, contatar o hostel ou amigos são coisas mais fáceis de conseguir se você tiver internet. Você pode comprar um chip pré-pago em qualquer país e recarregar se precisar de mais créditos. O chip que você comprar vai funcionar em toda a União Europeia sem custos adicionais, então o mesmo que você comprar em Portugal, vai poder usar na Polônia, sem problemas.

3. Decore o número 112

Esse é o número padrão de ligação de emergência na Europa. Não importa se na Alemanha, na Eslováquia ou na Espanha, é para esse número que você vai ligar se você estiver em uma situação de perigo. Nós esperamos que você não precise usar, mas é sempre bom saber de cabeça, afinal são só três números.

Caso você já saiba quais são os países para os quais você vai viajar e quiser saber números de telefone mais específicos para caso de emergência, você pode ver essa lista, que explicita os telefones para ligar em diferentes casos – como polícia para situações de não-emergência ou ambulância. Também é interessante ter ao seu alcance o número da embaixada brasileira nos seus países de destino.

4. Peça dicas na recepção do hostel

Wombats City Hostel, Munique, Alemanha

Dando dicas todos os dias, as pessoas que ficam na recepção do hotel sabem como funciona a cidade e tem dicas do que você pode fazer – aquele lugar que não estava no roteiro, por exemplo – e vão poder te dar detalhes sobre o passeio e principalmente. Eles também vão poder te alertar sobre qualquer perigo ou qualquer local que você queira que talvez não seja uma boa ideia ou seja melhor se você for acompanhada.

Você também pode perguntar sobre trajetos e quais as melhores formas de chegar nos lugares. Se precisar de um táxi, ou um translado, por exemplo, muitos hostels conseguem providenciar. E de um lugar de confiança, para você ficar mais tranquila.

5. Faça amizade com outras mulheres viajando sozinhas

📷@iamigerbase

Unidas somos mais fortes, não é? Um dos lados positivos de ficar em hostels é a facilidade que você tem de conhecer outras pessoas, principalmente outros viajantes solos. No próprio quarto, nas áreas comuns, no bar, você pode conhecer outras mulheres em jornadas parecidas com a sua.

Dessa forma, você pode arrumar companhia para os passeios e andando com mais gente na rua, fica mais difícil ser vista como alvo. E também nos faz sentir mais seguras, claro. Sem contar que conversando com outras mulheres que já foram para destinos que você quer ir, você pode aproveitar para pegar umas dicas.

6. Confie na sua intuição

É claro que não dá para viver com medo e a linha entre paranoia e intuição muitas vezes não  é muito clara. Mas aquele sentimento de algo está estranho, não muito certo, meio esquesito… é um bom indicador que pode nos ajudar. Claro que podemos estar errados e o medo ser injustificável, mas é isso que precisamos trabalhar. E confiar no que você acredita estar errado é parte uma jornada mais segura.

Uma pessoa aleatória te parou na rua e você achou esquisito? Aquele caminho não te parece muito legal? Tem esmola demais em algo que alguém te ofereceu? Então confia na sua intuição com força e dá meia volta, para pegar outra rua. Para não aceitar. Pode ser que seja apenas insegurança, mas pode ser algo que vai te salvar de uma enrascada.

7. Escolha lugares centrais para se hospedar

Home Lisbon Hostel 📷@noor_p

Quanto mais bem localizado seu hostel e mais gente por perto, melhor. No nosso site e aplicativo, você consegue ver a distância daquele hostel para o centro da cidade. Pelos centros serem mais turísticos, vão ter mais lojas abertas a noite e nos domingos, mais gente passeando e muito provavelmente, mais luz – o que no inverno europeu é extremamente importante, já que escurece bem mais cedo.

Na Europa, o centro também costuma ser o lugar onde fica a estação principal de trem, ou seja, se você vai chegar tarde ou sair muito cedo, já vai estar ali perto e não vai ter que ficar andando por ruas escuras com mala e tudo.

8. Conheça os golpes

A Europa de forma geral é mais segura. Mas nem o velho continente está a salvos dos golpes, principalmente para aqueles que tem muita cara de turista. Alguns podem parecer bem óbvios – gente que diz que veio de tal lugar e está querendo dinheiro para uma passagem de volta. Mas alguns se disfarçam muito bem. E outros são bem manjados, como é o caso do anel de ouro falso que “encontram” no chão e te perguntam se você quer ficar com ele pela bagatela de 50 euros.

Pesquise bem sobre golpes para as cidades que você está indo e converse com pessoas que já foram para lá, pois é a experiência que manda nessas situações. Em grupos de Facebook, por exemplo, é muito fácil achar relatos, para assim ficar esperta. É claro que o cuidado tem que ser redobrado em cidades e em locais mais turísticos, já que são lá que eles acontecem com mais frequência.

9. Saiba seu limite

📷@astaclivo

Existem bebidas que são famosas por serem permitidas com alto teor alcoólico em alguns países da europa. É o caso do absinto 89,9%, sim, aquele que te faz ver a fada verde, permitido na República Tcheca e na Bulgária. A gente sabe que é uma oportunidade única, mas se você está viajando sozinha, talvez dar um PT e beber até perder os sentidos, daquele jeito que você faz com suas amigas no Brasil, talvez não seja… a melhor das ideias, né?

O mesmo vale para as drogas, extremamente presentes nas baladas europeias (quem nunca assistiu Christiane F.?), especialmente nos países do leste europeu, onde a fiscalização é mais precária. Você precisa de todos os seus sentidos, ok? Ok.

10. Confira a segurança dos bairros

📷@iamigerbase

No geral, os bairros turísticos são bastante seguros, cheios de gente e iluminados. Mas nem tudo que a gente quer visitar fica em um bairro turístico. E aí? Você não precisa desistir de visitar um lugar que quer porque não sabe exatamente o que esperar da localização.

Dê um google no nome do bairro para descobrir se existem relatos de situações complicadas ou constrangedoras de alguma forma. Você também pode conferir relatos de outros viajantes e principalmente de mulheres que viajaram sozinha e passearam por ali no TripAdvisor. Para ficar mais tranquila, prefira também visitar o lugar durante o dia. Mas fique atenta: como já dito, no inverno os dias são mais curtos e escurecem mais cedo.

Continue lendo 👇🏼 

⭐️  15 dicas para o seu primeiro mochilão na Europa

⭐️ Melhores lugares para visitar na Europa: As cidades que você precisa conhecer na sua primeira Eurotrip

⭐️ Como economizar no seu primeiro mochilão na Europa

📚 Sobre a autora 📚

Larissa Moreira gosta de gatos, filmes de terror ruins, viagens de última hora e de adiar o despertador cinco vezes. Você pode acompanhar as viagens de Larissa em seu Instagram.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/dicas-para-viajar-sozinha-pela-europa/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.