Os 11 melhores destinos para conhecer a história e a cultura do Brasil

Os 11 melhores destinos para conhecer a história e a cultura do Brasil

Definir o brasileiro é uma tarefa impossível. Nossas raízes indígenas, europeias e africanas formaram um povo multicultural e multirracial. Nos orgulhamos pelo dom de transformar tristezas em alegrias e da nossa criatividade, gingado ou jeitinho, que não existe em lugar nenhum do mundo.

Exposição do Projeto Morrinho no Museu MAR, Rio de Janeiro 📷 solanomundo

Vivemos em um dos maiores países do mundo e entre incríveis belezas naturais. Do topo de uma montanha até um pôr do sol na praia, bastam algumas horas de viagem. Temos o pulmão do mundo, a floresta Amazônica. Também as águas, nas Cataratas do Iguaçu. Somos o norte, o nordeste, o centro, o sudeste e o sul. Construímos laços em comum, mesmo sem nos conhecer. Dentro do Brasil, brincamos com nossas diferenças, mas coitado do estrangeiro que decidir falar mal da gente. Descubra aqui 11 dos melhores destinos para conhecer a história e a cultura do Brasil, divididos nas cinco regiões brasileiras.

Cultura do Brasil

Nossa história é violenta e nossa cultura possui também reflexos dela. O Brasil foi brutalmente colonizado e nossas tradições originárias, hoje, abraçam os santos da igreja católica e os tambores da África. Antes de sair pelo mundo, decidi conhecer o Brasil. Percorri nove estados e aprendi muito, conversei com pessoas sábias e vivi experiências transformadoras. Só tenho uma certeza: ainda tem muita história para conhecer entre aldeias, quilombos, festas, carnavais, vilarejos e museus.

Esse texto é um convite para aprender com aquilo que não está nos livros. Sotaques, danças, ritos, roupas e comidas. Conversar com pessoas que vivem nas mais deslumbrantes paisagens e se encontrar enquanto viaja pelo Brasil.

O Norte do Brasil

A cultura e história do Norte do Brasil têm influências dos povos indígenas que ali vivem, dos portugueses, a partir da fundação de Belém, e dos africanos, principalmente nos ritmos e músicas nortistas. O norte é a maior, das cinco regiões brasileiras, e lá você vai encontrar:

– Açaí: polpa da fruta roxa do açaizeiro consumida doce, salgada ou como suco

– Carimbó: estilo musical e dança

– Tacacá: sopa para tomar em cuia indígena, feita com tucupi e caldo de mandioca

– Círio de Nazaré: procissão católica em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré

1. Parintins (AM) – Torça para o Boi-Bumbá

Todo mês de junho, no interior do Amazonas, a cidade de Parintins recebe a tradição da Festa do Boi-Bumbá. O boi Caprichoso, vestido de azul, enfrenta o boi Garantido, de vermelho, em um Bumbódromo lotado. Lendas, rituais indígenas e costumes ribeirinhos se misturam em uma das mais preservadas manifestações culturais da América Latina.

📷 Oliver Kornblihtt

  • Quando ir: durante o mês de junho
  • Região: interior do Amazonas, principalmente em Parintins
  • Onde ficar: casa dos moradores e pousadas da ilha Tupinambarana*
  • *Infelizmente ainda não possuímos hostels em Parintins, mas, ao visitar a região, fique em hostels em Manaus e em hostels em Alter do Chão
  • Pontos de interesse: centro histórico de Manaus, Rio Negro e Solimões

2. Quilombo da Mumbuca (TO) – Colha o Capim Dourado

O Tocantins guarda belezas naturais diferentes de tudo que conhecemos no Brasil. O Parque Estadual do Jalapão com seus fervedouros turquesas e dunas laranjas é um dos exemplos. A partir da cidade de Mateiros, há um ano, visitei o quilombo da Mumbuca e conheci a partir de Dona Antônia, a história de sua avó, a famosa Dona Miúda. Ela inventou o artesanato de capim dourado que conhecemos e criou a Associação dos Artesãos do Mumbuca, que todo mês de setembro, se reúne para colher o capim e celebrar.

Dona Antonia no Quilombo Mumbuca 📷 solanomundo

  • Quando ir: durante o mês de setembro, quando acontece a festa da colheita do capim-dourado
  • Região: interior do Tocantins
  • Onde ficar: casa dos moradores e pousadas do Quilombo da Mumbuca
  • Pontos de interesse: Cachoeira da Formiga, Morro do Espírito Santo

3. Bragança (PA) – Celebre a típica Marujada

A Marujada de Bragança, diferente das outras Marujadas da cultura do Brasil, não tem nada a ver com o mar. É uma festa que relembra a permissão de celebrar São Benedito, o santo preto, concedida aos escravos da cidade 100 anos antes da abolição. As marujas vestem saias vermelhas, blusas brancas e um chapéu de armação alta coberto por flores brancas, feitas com penas de pato. Tive o prazer de conversar com o Mestre Come-Barro, um dos mais respeitados mestres da região. Além de celebrar a Marujada, Seu Raimundo (Come-Barro) comanda pandeiros, rabecas, violas, cavaquinhos, cuícas, violões e tambores para a Brincadeira de Pássaro, a Toada a Folia de Santo Reis e o Carimbó, ritmo amazônida e patrimônio cultural brasileiro.

Mestre Come-Barro Pará 📷 solanomundo

  • Quando ir: durante o mês de dezembro
  • Região: interior do Pará
  • Onde ficar: pousadas em Bragança*
  • *Infelizmente ainda não possuímos hostels em Bragança, mas, ao visitar a região, fique em hostels em Belém
  • Pontos de interesse: pesca na Praia de Ajuruteua, Ilha do Canela

O Nordeste do Brasil

Todos os estados do nordeste são agraciados pelo mar. Foi a primeira região da história do Brasil a ser explorada pelos portugueses, a receber escravos da África e também invasores da Holanda, que deixaram suas marcas na arquitetura. Lá você vai encontrar:

– Frevo: dança e ritmo musical originária de Pernambuco com ritmo acelerado

– Acarajé: bolinho de feijão-fradinho recheado com camarão seco, caruru e vatapá de origem africana

– Capoeira: jogo de matriz africana que combina instrumentos como o berimbau e o pandeiro a movimentos de ataque e defesa

– Cordel: poesia popular recitada por repentistas e publicada em folhetos acompanhada de xilogravuras

4. Caruaru (PE) – Viva São João, Santo Antônio e São Pedro

A Festa Junina de Caruaru é a maior celebração regional ao ar livre da cultura do Brasil. Todo o interior de Pernambuco é tomado por fogueiras gigantes, pau de sebo, correio elegante, casamento caipira e, como a pamonha, outras comidas a base de milho, que tem sua colheita em junho. Além de São João, Santo Antônio e São Pedro também são celebrados. Caruaru é conhecida como “a capital do forró”, ritmo tradicional brasileiro.

📷 eduardops

  • Quando ir: durante o mês de junho
  • Região: Recife, Caruaru e Interior de Pernambuco
  • Onde ficar: hostels em Recife para então explorar várias cidades
  • Pontos de interesse: Porto de Galinhas, Fernando de Noronha

5. Maranhão – Participe da tradicional Festa do Divino

O Maranhão é um dos estados do Brasil onde a Festa do Divino é mais forte. Conheci Bartira Menezes que, junto a sua mãe e suas tias, trouxe a festa do Maranhão para São Paulo. Ela se dedica a retratar diferentes formas de celebrar o Divino, na série “Itinerâncias de uma jovem caixeira”, tanto em São Luís quanto no interior. Alcântara, a 97km de São Luís, é palco de uma das maiores celebrações. No final da festa, após a chamada derrubada do mastro, começa a porção profana com o cacuriá, ritmo e dança típica maranhense. Atualmente o cacuriá conta com caixa, banjo, violão, flauta e outros instrumentos.

Festa do Divino em Alcântara 📷 Danielle Pereira

  • Quando ir: durante os meses de maio e junho (em Pentecostes)
  • Região: São Luís e interior do Maranhão
  • Onde ficar: hostels em São Luís
  • Pontos de interesse: Lençóis Maranhenses, Parque Nacional Chapada das Mesas

6. Salvador (BA) – Lave as escadas de Nosso Senhor do Bonfim

O sincretismo da cultura brasileira pode ser melhor compreendido em Salvador, capital da Bahia de todos os Santos. A grande Festa do Nosso Senhor do Bonfim, da Igreja Católica, acontece na segunda quinta-feira do mês de janeiro, mas uma semana antes, a cidade toda se mobiliza para a lavagem das escadarias da Igreja do Bonfim, na chamada cerimônia das Águas de Oxalá. A tradição teve início em 1773, quando escravos foram obrigados a lavar as escadas da igreja para a festa. Baianas de toda a cidade despejam água de cheiro ao som de toques e cânticos de religiões como o Candomblé, de matriz africana.

📷 jecosta

  • Quando ir: durante o mês de janeiro
  • Região: Salvador
  • Onde ficar: hostels em Salvador
  • Pontos de interesse: Chapada Diamantina, Mercado Modelo

O Centro-Oeste do Brasil

A região do Centro-Oeste é composta por Goiás, Mato-Grosso, Mato-Grosso do Sul e Distrito Federal. Além das influências comuns entre outros estados do país, estes têm influência boliviana e paraguaia, a partir de suas fronteiras. Lá você vai encontrar:

– Pequi: fruto utilizado na culinária sertaneja para temperar arroz e frango. Também utilizado como óleo por povos indígenas

– Procissão do Fogaréu: evento que simboliza a busca e prisão de Cristo durante a semana santa

– Cavalhadas: apresentação teatral sobre a batalha entre cristãos, de azul, e mouros, de vermelho

– Cururu: manifestação dançada entre desafios de violeiros homens com reco-reco e ganzá

7. São Jorge (GO) – Respeite a cultura tradicional Kalunga

O Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, idealizado por Juliano Basso, acontece todo o mês de julho na Vila de São Jorge, próximo de Alto Paraíso de Goiás, cidade conhecida como o “Pólo Místico” do país. Quem visita as cachoeiras do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros nesta época, se surpreende com shows de grandes nomes da cultura popular, forró e apresentações de danças como a Sussa, típica da comunidade Kalunga. O quilombo Kalunga fica em Cavalcante, a poucas horas de São Jorge, onde é possível conhecer a região do Vão das Almas e conversar com os moradores.

📷 Oliver Kornblihtt

  • Quando ir: durante o mês de julho
  • Região: Brasília e Alto Paraíso
  • Onde ficar: camping em São Jorge*
  • *Infelizmente ainda não possuímos hostels em São Jorge, mas, ao visitar a região, fique em hostels em Brasília
  • Pontos de interesse: Cachoeira Santa Bárbara, Chapada dos Veadeiros

O Sudeste do Brasil

O sudeste do Brasil é conhecido como uma região industrial, comercial e financeira importante do país. Altamente urbanizada, passou pelo ciclo do ouro, do café, do Império e da República. Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo receberam imigrantes europeus e asiáticos. Lá você vai encontrar:

Feijoada: originária de Portugal, a feijoada do sudeste leva feijões pretos e foi influenciada pela culinária africana

Cristo Redentor: estátua que retrata Jesus Cristo de braços abertos no Rio de Janeiro e cartão postal do Brasil

Moqueca capixaba: prato típico do Espírito Santo que leva peixe, cebola, coentro e urucum.

Samba de Lenço: dança de matriz africana sambada tanto nas cidades como nos campos do sudeste

8. São Paulo (SP) – Aprenda sobre repressão e resistência

Vivemos tempos de abertura política interrompidos por ditaduras que de formas desumanas tentavam tornar o brasileiro homogêneo, farinha do mesmo saco. Desta panela de pressão chamada censura, surgiu o tropicalismo, a antropofagia, e expressões de valorização das diferenças que nos formam. O Memorial da Resistência, uma iniciativa do governo de São Paulo, está localizado em parte do edifício que foi sede do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo, o Deops/SP, entre 1940 e 1983. Hoje, é possível conhecer mais sobre a história das pessoas que sofreram com uma das polícias políticas mais truculentas do Brasil no Memorial.

📷 Juliana Dacoregio

  • Quando ir: o ano todo
  • Região: São Paulo capital
  • Onde ficar: hostels em São Paulo
  • Pontos de interesse: Avenida Paulista, Parque Ibirapuera

9. Ouro Preto (MG) – Conheça a história da mineração

As cidades históricas Mariana, Ouro Preto, São João Del Rei e Tiradentes são as principais protagonistas do ciclo do ouro, época marcada pela mineração feita por escravos. Pode-se conhecer mais sobre a cultura do Brasil entre as ruas de paralelepípedo, trens e arquitetura dos casarões. A festa de Nossa Senhora do Rosário dos homens Pretos, conhecida como “Congada”, recria a coroação de Chico Rei, um homem soberano na África, trazido por navios negreiros para o Brasil. Ele chegou em Ouro Preto com um único filho sobrevivente. Trabalhando nas minas de ouro, conseguiu comprar a libertação de seu filho e em seguida, de outros escravos. A Congada representa crenças de Angola, do Congo e inclui católicas, de Portugal. A celebração começa com a novena às vésperas do Natal e prossegue até 6 de janeiro, juntando-se a Folia de Santo Reis.

📷 iamigerbase

  • Quando ir: nos meses de dezembro e janeiro
  • Região: Ouro Preto e cidades históricas de Minas Gerais
  • Onde ficar: hostels em Ouro Preto
  • Pontos de interesse: Mariana, Tiradentes

10. Rio de Janeiro (RJ) – Carnavalize nas ruas da cidade

No Brasil, não aprendemos a construir espaços públicos igualitários desde nossa colonização exploratória. Porém, durante algumas semanas do ano, na época do carnaval, diferentes classes sociais se misturam pelas rua. O carnaval para os brasileiros, é uma festa e um estado de espírito. O Rio de Janeiro, no mês de fevereiro, se transforma. Além de ser um dos maiores carnavais do mundo, a atenção dos foliões se reveza entre os desfiles competitivos de escolas de Samba e as festas de rua, democráticas, dos blocos e cordões. Muitos cariocas trabalham o ano inteiro para esta comemoração, onde vale quase tudo: fantasias, bebidas, confetes, músicas, calor e alegria.

📷 caochopp

  • Quando ir: no mês de fevereiro
  • Região: Rio de Janeiro
  • Onde ficar: hostels no Rio de Janeiro
  • Pontos de interesse: Pão de Açúcar, Ipanema

O Sul do Brasil

O Sul do Brasil é a região que mais recebeu imigrantes europeus, principalmente da Itália e da Alemanha em períodos de grandes guerras mundiais. Com saudade de sua pátria, muitos imigrantes dedicaram suas vidas para manter suas tradições mesmo tão longe de casa, em outro hemisfério. Lá você vai encontrar:

– Chimarrão: bebida de matriz indígena preparada com erva-mate moída em uma cuia com água quente

– Festa de Nossa Senhora dos Navegantes: festa de origem portuguesa onde barcos e devotos realizam procissões na terra e no mar

– Barreado: prato típico do Paraná de origem açoriana feito com carne cozida em panela de barro

– Dança de fitas: dança ao redor do pau-de-fitas originária da Europa onde por meio de coreografias e músicas formam-se trançados com as fitas coloridas

11. Blumenau (SC) – Viaje para a Alemanha na Oktoberfest

A cidade de Blumenau recebe todo o mês de outubro a famosa Oktoberfest, um festival inspirado na celebração alemã de mesmo nome que acontece em Munique. Entre as tradições gastronômicas germânicas é possível provar o “verdadeiro” bretzel (pão), goulash (carne) e spaetzle (massa), além das cervejas artesanais. Todos os anos carros alegóricos e grupos folclóricos desfilam com trajes típicos. Durante o verão, a cidade também relembra suas raízes alemãs com a Sommerfest. Durante estes eventos, é possível falar com imigrantes que podem compartilhar suas histórias de vida.

📷 proggy

  • Quando ir: no mês de outubro
  • Região: Blumenau
  • Onde ficar: hostels de Blumenau
  • Pontos de interesse: Parque Nacional da Serra do Itajaí, Balneário Camboriú

 

📚 Sobre a autora 📚

Meu nome é Raquel Cintra Pryzant e sou uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e criei o projeto Sola no Mundo para compartilhá-las. Bora conversar pelo meu Insta onde estão minhas melhores fotos!

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/destinos-historia-cultura-do-brasil/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Iami Gerbase (Hostelworld)

Hi! My (weird) name is Iami and I'm a Brazilian journalist tired of hearing "You don't look Brazilian". I love to taste street food, read at the beach and watch Naked and Afraid. 🌏 Favourite place on earth: Praia de Palmas, SC, Brazil. 🏠 Favourite hostel: Bananas Bungalows, Krabi, Thailand. You can follow my travels on Instagram: @iamigerbase.

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.