Comidas típicas da Argentina: Uma viagem pela culinária dos nossos vizinhos

Comidas típicas da Argentina: Uma viagem pela culinária dos nossos vizinhos

As comidas típicas da Argentina são um reflexo do quanto o país possui de influência europeia. Outros aspectos, como a arquitetura inspirada em Paris e o sucesso de esportes ingleses como rugby e cricket também mostram isso, mas nada se compara ao colorido que a imigração de italianos e espanhóis deixou nos pratos mais conhecidos da Argentina. Em menor medida, há também alguns traços das culturas indígena e africana, mas a maior parte dos pratos que fazem a fama dos argentinos vem da Europa, como você pode conferir na lista abaixo.

Um dos principais atrativos para quem faz turismo na Argentina, sobretudo em Buenos Aires é a possibilidade de comer muito bem gastando bem pouco. Com o peso em baixa, em relação ao real, euro e dólar, é possível fazer uma refeição completa – e farta – por um preço bem abaixo do que sairia em um bom restaurante em outras grandes cidades do mundo. E sem contar com o vinho produzido na Argentina, que tem tido cada vez mais admiradores e que sai bastante em conta. É uma festa para o paladar.

Que pratos da culinária argentina eu devo pedir?

Mas o que comer na Argentina? Não se preocupe, porque aí vão umas dicas para aproveitar o que há de mais delicioso, da entrada à sobremesa, sem culpa, por favor.

Bife de Chorizo

Comidas típicas da Argentina

?@guprado10

Falou em Argentina, o primeiro prato que me vem à mente é o maravilhoso bife de chorizo. Encontrado em qualquer restaurante, o “bife do tamanho de um prato” é uma das receitas mais pedidas nos restaurantes de Buenos Aires e o motivo para esse sucesso é que o chorizo é um dos cortes mais nobres na carne bovina na Argentina. Um chorizo é um bife de uns dois dedos de altura selado em grelha e depois assado em churrasqueira e tem o interior rosado e suculento. Acompanha batatas fritas. Como a carne não costuma ser salgada com antecedência, meu conselho é corrigir o sal na mesa mesmo. E não confundir com chouriço, que é um tipo de linguiça.

Parillada

Culinaria argentina

 

?@juanra_mj

A Parrillada é um prato onde se servem diversos tipos de carne assados no carvão. O Asado argentino, também chamado de barbacoa, é uma instituição nacional tanto quanto o churrasco é no Brasil. E não vamos brigar pra saber qual é o melhor, porque ambos sao maravilhosos. A parrillada mais comum nos restaurantes e traz uma porção generosa de diferentes tipos de carne, como de vaca, de cordeiro, de porco e de frango. E tipos diferentes de linguiças, como a murcielaga, com sangue bovino, que nós conhecemos como chourico. E acha que acabou? Ainda tem partes de miúdos assados, como rins e intestinos de vaca. É carne que não acaba mais.

Milanesas

melhores comidas da argentina

?@thekidwhoatetheworld

 Mais uma herança italiana que é bastante difundida nos restaurantes portenhos. A Milanesa é um bife fininho, empanado em ovo e farinha de pão e frita. A versão napolitana, dizem, foi inventada em Buenos Aires, e vem acompanhada de molho de tomate e queijo, mas sozinha também faz sucesso, inclusive em sanduíches. E tem a Suprema, que é uma irmã da Milanesa, só que com frango no lugar na carne bovina. Tão deliciosa quanto, eu te desafio a pedir uma suprema recheada com “jamón y queso” e não amar cada pedacinho dessa maravilha.

Empanadas

pratos tipicos da argentina

?@elamorengorda

Receita típica de origem espanhola, a empanada é a iguaria típica mais democrática da Argentina. Primeiro por ser muito barata: custa de 10 a 30 pesos, no máximo. Segundo pela variedade de sabores. A mais pedida é de carne, muito bem temperada. Leva carne moída, pimentão, batata e ovo cozido, tudo picado bem pequenininho. Tem outros sabores, como queijo e presunto, queijo e cebola e provençal (queijo, ervas, azeitona e tomate). Vale também experimentar a de humita, que é a base de milho, e a de verdura, que não é de legumes, mas de hortaliças verdes, como espinafre e escarola.

La Picada 

?@un_petit_porc

No terreno das entradas, La Picada é o que chamamos de tábua de frios. Vale a pena porque a variedade e a qualidade de presuntos e queijos da Argentina são excelentes. Além dos fios, também servem azeitonas, ovos e picles. Na verdade é comum misturar tantos ingredientes quanto permitir a sua imaginação, mas o objetivo é sempre de servir algo simples e rápido. E saborear um vinho enquanto o prato principal não fica pronto.

Choripán

?@dariocheftorres

 E por falar em algo simples e rápido, mas muito saboroso, a pedida é o choripan, um dogão de rua feito com linguiça assada em um pão francês e molho chimichurri de acompanhamento. Minha dica é que você conheça as carrocinhas de lanche da Reserva Ecológica, perto de Puerto Madero. Deixam qualquer food truck no chinelo. Outro sanduíche que faz bastante sucesso é o pancho, o velho e bom cachorro quente, onipresente em qualquer kiosko que se preze.

Locro

?@jeremiaz77

 Entrando um pouco na culinária criolla, essa receita típica argentina costuma ter diferentes versões de acordo com a província onde é servida. É um guisado preparado com milho e abóbora, e diversos tipos de carnes, como panceta, mondongo (o estômago da vaca) e chorizo.É um prato muito nutritivo e típico durante o inverno, que se cozinha em fogo lento. Um dos poucos pratos típicos de origem indígena que prevalecem nos costumes argentinos, me disseram que é uma tradição comer o locro no dia 25 de Maio, o Dia da Independência na Argentina.

Lomo

?@javierba80

 Tradição por quase todo o país, o Lomo é uma carne macia, preparada de maneiras diferentes de acordo com cada região. Eu particularmente aprecio muito o Lomo a la Frontera, que me foi apresentado por um amigo de Salta, mais ao norte da Argentina. É um filé imenso de carne grelhada, servido com batatas fritas, um molho a base de ervilhas e pimentão vermelho e por cima, ovos fritos. É um prato muito saboroso, colorido e muito rico em sabores.

Humita

?@guerrero_xav

Uma das comidas típicas da Argentina que consiste em uma massa de milho saborosa, cozida enrolada na própria palha do milho. Quem aí tiver dito pamonha quase acertou. Difundida em toda a região dos Andes (Argentina, Bolívia, Chile,Equador e Peru), as  humitas tem origem indígena e seu preparo é um pouco parecido com a receita de pamonha que conhecemos no Brasil. Mas as semelhanças não são tantas assim: as humitas levam cebola, pimentão e tomates refogados, além de temperos como coentro, orégano e chimichuri, entre outros. Em alguns lugares é feita com leite, em outros se adiciona abóbora cozida na massa.

Pizza

?@lelegarciaquatraro

 Ta aí uma comida que você jamais pensaria que pode ter a cara de Buenos Aires, já que massa é a globalização em forma de comida. Mas em Buenos Aires, ela tem um sabor especial. Primeiro porque não são muitas as opções de recheio, como em São Paulo, por exemplo. Ou seja, nada de pizza de estrogonoff ou de chocolate com morango. Segundo pela quantidade abundante de queijo que cada pizza leva. E terceiro por um costume local, o de comer a pizza com fainá, que é uma massa de farinha e azeite, com o sabor mais suave que costumam comer em cima da piza, de modo que o queijo da pizza vire um recheio entre duas massas. É diferente, só provando pra decidir se é bom ou não. 

Tem sobremesa Argentina? Claro que sim! 

Medialunas

?@jaimepesaque

 Na Argentina, o que nós chamamos de quitanda, é conhecido como factura e os biscoitos e rosquinhas são feitos basicamente de massa folhada com manteiga e açúcar, podendo ou não ter recheio de doce de leite, chocolate, creme branco, goiabada ou doce de batata. A factura mais conhecida e apreciada é a medialuna, um rosqinha macia que acompanha o cafezinho nosso de todo dia e que pode ser encontrada em diversas versões: simples, recheadas, com açúcar de confeiteiro e até salgadas, com jamón y queso. É impossível comer uma só.

Dulce de Leche 

?@saracaiola

Argentina e Uruguai travam uma pequena rixa sobre a origem do famoso doce de leite, mas, não precisamos entrar na briga, porque a guloseima é incrível nos dois países, em suas mais variadas versões. Mas você precisa conhecer mesmo é o sorvete de doce de leite, ou “helado de dulce de leche”. O mais famoso de Buenos Aires é o da Freddo, mas o meu preferido é o da Nicolo, o “dulce de leche tentación”. A impressão que se tem é que todo o doce do mundo invadiu sua boca. É uma sensação tão maravilhosa que é capaz de você ouvir um coral de anjos cantando enquanto ele derrete na sua boca.

Pastelito

?@veronicabtz

 Também chamado de Pastelito Criollo, é uma pequena dádiva dos céus em forma de doce: uma massa folhada, geralmente em forma de trouxinha, frita e recheada com doce de leite, de batata ou de membrillo (marmelada). Pode ser encontrado em qualquer boa confeitaria, durante o ano inteiro, mas também é uma tradição durante os feriados patrióticos.

Alfajor

?@alfajoricono

Quando se está de viagem para Buenos Aires, a frase mais ouvida é “traz um alfajor para mim”. E é claro que eu não terminaria a lista sem citar o doce que é o souvenir mais pedido de todos. O bolinho macio recheado com doce de leite e coberto com chocolate ou açúcar refinado é a cara da Argentina, mas tem origem árabe e chegou ao país através dos espanhóis. O mais famoso é o da Havana, mas em qualquer kioske tem uma porção de marcas e sabores, vale a pena experimentar alguns até achar o seu preferido. O meu é o Jorgito de chocolate branco.

Bebidas Argentinas para acompanhar

Vinho

?@marianoschonfeld

A Argentina está atualmente entre os principais produtores  de vinho. E há roteiros turísticos onde se pode conhecer vinhedos em Mendonza, La Rioja, Salta e Patagônia. É importante dizer que a uva cujo cultivo deu mais certo no País foi a Malbec, logo, os vinhos dessa uva são os mais famosos e consumidos por aqui. E eles casam perfeitamente com a natureza da culinária argentina, que geralmente é composta de pratos mais “pesados”. Mas há bons vinhos de outras uvas, tintos, brancos, espumantes e de sobremesa. Bons vinhos estão disponíveis no supermercado com preços a partir de 60 pesos (algo em torno de R$ 12) e nos restaurantes a partir de 100 pesos (cerca de R$ 20). Ou seja, onde come-se bem, também se bebe bem.

Fernet

?@themonakeesa

 Taí uma bebida que é “ame ou odeie”. O Fernet é uma invenção italiana que se popularizou na Argentina por ser uma bebida barata. Trata-se de um destilado misturado a raízes fortes como ruibarbo, e a genciana, a quina, o alóes e o agárico. Amarga, normalmente é servida com coca-cola para atenuar o sabor. Há quem diga que tem gosto de remédio, mas é uma das bebidas mais consumidas pelos jovens de Buenos Aires, algo parecido com a catuaba no Brasil.

Mate

?@liviahoy

 Uma tradição de origem indígena, o consumo do mate na Argentina é parecido com o do chimarrão no Rio Grande do Sul. É uma bebida tão amada que tem até um dia para celebrá-la, dia 30 de Novembro, o Dia do Mate. O mate pode ser apreciado sozinho ou entre amigos, como um meio de socialização. Há ainda quem o beba com açúcar ou acompanhado de facturas, como bolachinhas e medialunas.

Júnior Bueno é jornalista brasileiro e atualmente vive em Buenos Aires, de onde escreve sobre aspectos culturais, costumes e curiosidades argentinas para diversos veículos e em seu blog

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/comidas-tipicas-da-argentina/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

Inspire-se

10 Responses to “Comidas típicas da Argentina: Uma viagem pela culinária dos nossos vizinhos”

  1. Eu fui na Agentina amei queria mora lá a comida e divina pesquio todos os dias sobre a vida por lá quem sabem um dia .

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.