Sabores latinos: como comer barato na América Latina

Sabores latinos: como comer barato na América Latina

Viajar é bom. Viajar e comer é muito bom. Viajar e comer por um preço bacana? Basicamente o sonho de todo viajante, mochileiro e desbravador por aí, não é? Quando estamos viajando, a alimentação toma conta de boa parte do nosso orçamento. Apesar de sempre termos os mercadinhos e salgadinhos para nos ajudar nessa missão, explorar a culinária local e conhecer pontos gastronômicos faz parte da experiência e com certeza enriquece a viagem.

Sim, sabemos que comer fora pode, além de enriquecer, encarecer. Mas não se preocupe: sempre há um jeito. E, por isso, separamos esse guia para o mochileiro que quer comer barato na América Latina sem deixar de experimentar os sabores locais. Escolhemos alguns dos principais destinos da região, focando em cidades grandes onde, normalmente, é mais difícil comer com o orçamento apertado.

Então vem comigo descobrir por que os sabores deliciosos são um dos 15 motivos para você se jogar na América Latina!

1. Santiago – Chile

Choripán 📷 bárbsantelices

Mercado Central de Santiago 📷 CucombreLibre

Com passagens aéreas baratas muito fáceis de encontrar, Santiago está se tornando cada vez mais um destino comum para brasileiros. Mas nem tudo são flores na vida do orçamento curto: comer no Chile é geralmente muito caro. Um prato em um restaurante simples não sai por menos do que 10 mil pesos (55 reais).

Geralmente, no entanto, os restaurantes, oferecem no horário do almoço algo chamado menu do dia, onde a entrada, o prato principal e a bebida vem num combo, muitas vezes até com sobremesa. E existe um tipo de restaurante no Chile, simples e limpo, que segue a mesma ideia do nosso self-service e que oferece esse menu por um preço bastante acessível. Esse tipo de restaurante se chamada “La Picada”. É possível ver todos os restaurantes desse tipo aqui. Tem diversos restaurantes em que o valor é cerca 3.500 pesos (20 reais).

Além disso, vale conferir o famoso Empanadas Zunino, onde as empanadas custam cerca de mil pesos (6 reais). Também vale apostar nos fasts food chilenos que saem por cerca de 4 mil pesos. Para encontrar outros lugares baratos foque nos restaurantes do centro.

2. Bogotá – Colômbia

Sancocho 📷 holiet

Patacones 📷 rexromae

O mais impressionante da comida colombiana é que ela se parece muito com a brasileira: arroz, feijão, ovo frito. Ou seja, com relação a comida, é muito fácil se sentir em casa, com aquele prato feito que enche o bucho até umas horas. A capital da Colômbia não é especialmente conhecida por sua gastronomia, mas isso não quer dizer que não existem restaurantes que valem a pena.

Para encontrar restaurantes locais, que servem comida colombiana e por um preço bom, o Centro Histórico de Bogotá e a La Calanderia (Zona C) são uma boa pedida. Os restaurantes concentrados por lá são geralmente para as pessoas que trabalham na região e por isso são mais simples. Mas, por ser uma área turística, também vão ter restaurantes tourist trap. Tem que saber filtrar.

O Restaurante Doña Elvira também merece uma atenção especial: ele já existe há mais de oitenta anos, serve a comida típica criolla. O restaurante é simples e os pratos são bem servidos, podendo muitas vezes servir duas pessoas. Os pratos principais custam de 18 a 40 reais.

3. Cartagena – Colômbia

Arepas 📷 canliga

Mercado Bazurto 📷@chovanecpeter

Em uma cidade mais turística, é mais fácil cair em restaurantes que cobram fortunas por um prato bem meia boca. Ou seja: tem que tomar muito mais cuidado. E claro, tentar comer o mais longe possível das atrações turísticas. A cidade é cheia de restaurantes famosos, como o Club de Pesca e o La Cevicheria. Mas eles são tão famosos quanto são caros: os pratos principais chegam a custar de 80 a 120 reais (aproximadamente).

Por isso, para aproveitar a gastronomia em Cartagena, a dica é aproveitar as comidas de rua: arepas con queso ou con huevo você encontra facilmente por cerca de 2 mil pesos colombianos (cerca de 3 a 4 reais). Também é fácil achar barraquinhas que vendem saladas de frutas gigantescas, que custam de 6 a 8 mil pesos (7 a 10 reais).

Para achar restaurantes pequenos com preço justo (como os de prato feito mencionados anteriormente), foque na Cidade Murada. Os pratos giram em torno de 18 mil pesos (20 reais) e são muito bem servidos.

4. São Paulo – Brasil (SP)

Cocada em uma feira de rua 📷 michael_swan

Menu de uma banquinha de pastéis  📷  mapurbanlinguisticlandscape

Que São Paulo é uma cidade cara, disso não temos dúvidas. Lotada de restaurantes lindos e caros, a maior cidade do Brasil não perdoa nem no mercadão e para comer por lá fugindo dos PFs e dos buffets – que são em geral parecidos com os PFs e buffets do restante do Brasil – normalmente é preciso desembolsar uma grana.

Mas sabe o que é “muito paulista, mano” e você não precisa vender seu rim para almoçar? Pastel de feira. Com caldo de cana. Mesmo nas feiras mais caras eles não custas mais que seis reais. E eles vem caprichados, com muitas opções de escolha. E o melhor? Muitas barraquinhas oferecem promoções do tipo pegue 5 e pague 4. Ideal para dividir com os amigos. E do lado sempre tem aquela barraquinha de caldo de cana. Outras opções deliciosas nas feiras são tapiocas, milho, sanduíches…

Para descobrir qual feira livre tem perto do lugar que você vai ficar e o dia em que ela funciona, basta acessar o site da prefeitura.

5. Lima – Peru

Ceviche com batata doce e milho 📷 christianhaugen

Prato feito em mercado de Lima 📷 agenciaandes_ec

Famosa também por sua gastronomia, a capital peruana tem muito mais a oferecer do que o famoso ceviche. Longe do que estamos familiarizados, ela é uma mistura da culinária espanhola com a africana e está ganhando cada vez mais lugar na hora de falar de comida.

O famoso ceviche geralmente pede que os viajantes desembolsem um pouco mais de grana: os pratos custam de 40 a 60 soles (R$1 = S 0,90). No entanto, atrás do Mercado Nacional de Surquillo, existe um restaurante de nome Bam Bam que é referido por muitos como o melhor ceviche de Lima. Os ceviches começam em 25 soles, assim como os pratos quentes, como o arroz com mariscos. Já pratos mais elaborados podem sair entre 35 e 50 soles. Vale uma conferida.

Agora, se você procurar por restaurantes no geral, é muito fácil achar por preços bacanas. La Lucha e El Chinito são lanchonetes em estilo peruano em que é possível comer um belo lanche com bebida por cerca de 20 novos sóis. O restaurante Ruffos tem um menu de menos de 10 novos sóis. Já o Caviar&Lounge tem um belo menu e você não deve desembolsar mais de 20 em um prato. A cidade também conta com diversas barracas de rua para comer muitas das comidas locais, como o frango na brasa.

6. Manágua – Nicaraguá

Mistura de várias delícias típicas da Nicarágua 📷 lifesoapcompany

Patacones 📷 colleenmorgan

Com uma culinária bastante específica (e variada) e diversos restaurantes baratos, comer em Manágua é um sonho para aqueles que curtem aquela comida simples e saborosa. E que cabe no bolso. Por ter uma moeda bastante desvalorizada com relação ao real, comer barato na capital nicaraguense não é difícil. Mas vamos separar aqui as melhores recomendações.

O restaurante buffet El Maná oferece um self-service com muitos da comida típica. O valor é de 90 a 120 córdobas nicaraguenses (10 a 14 reais). O restaurante Crepe Lovers também é uma boa pedida: com crepes bem servidos, eles oferecem uma promoção de crepe do dia de segunda a quarta, por 75 córdobas (9 reais).

7. Montevidéu – Uruguai

Mercado del Puerto 📷 talitaribeiro

Chivito 📷 zachmarzouk

Rica em carnes e churrasco, a culinária uruguaia se parece muito com a de seus vizinhos, tanto os argentinos, quanto os gaúchos. O chouripan, muito conhecido na Argentina, também é encontrado aos montes no Uruguai.

Formado basicamente de pão com linguíça, é uma pedida muito barata: é encontrado aos montes em um preço muito acessível em barracas de rua, botecos e saídas de baladas. Mesmo a barraca mais chique não deve te cobrar mais de 10 reais por ele. Empanadas também são uma boa: baratas e fáceis de encontrar em barracas e botecos.

Comer em restaurantes em Montevideu não é recomendado para quem quer guardar dinheiro. Se você estiver com vontade de comer o famoso churrasco uruguaio, o “asado”, vá ao Mercado del Puerto de Montevideo.

Além disso, a lanchonete Pancho Va! oferece um ótimo lanche com bebida e batata por cerca de 18 reais. O restaurante Chivito também funciona para quem quer comer bem e economizar: o prato principal é o que da nome ao lugar. Esse especial da culinária uruguaia vem bem servido e é suficiente para duas pessoas. Custa em torno de 20 reais.

8. Cidade do México – México

Chilaquiles 📷 katiebordner

Banquinha de tacos no bairro de Cuauhtémoc 📷 Lars Plougmann

Burrito, taco, nacho e guacamole. Basta ter visitado um Taco Bell para conhecer o básico do básico da culinária mexicana. Será mesmo!? O que a gente vê na maioria dos restaurantes mexicanos fora do país é, muitas vezes, uma versão “americanizada” da comida mexicada, que possui muito mais “pratos feitos” do que refeições no estilo lanche. Então o México tem para oferecer uma culinária rica que vai muito além do que a gente conhece dos fasts foods. E o melhor de tudo: comer no México é barato, mesmo que seja na capital.

Então, onde comer? Se você estiver mesmo em um budget, existe um carrinho de comida em basicamente toda esquina onde dá para comprar burritos e tacos, além de outras comidas (típicas do México ou não) pelo equivalente a 5/7 reais.

Mas a Cidade do México tem muitos restaurantes típicos que cobram cerca de 100 pesos mexicanos (18 reais) por uma refeição completa (com bebida incluída) ou até menos.  Tres Galeones e La Padoga são ótimas pedidas.

Os mercados municipais também são muito importantes no país. Na capital, você pode visitar o Mercado de Medellín, o de Roma (que é mais elitizado) e o de La Merced (mais antigo), além de outros que não são tão famosos. Lá existem diversas opções de comida por preços bastante acessíveis. Uma tostada bem servida custa 30 pesos (cerca de 5 reais).

9. Belém – Brasil (Pará)

Peixe com camarão 📷 Romerito Pontes

Tacacá 📷 Bruna Brandão – MTUR

Em 2015, essa cidade foi eleita a cidade da Gastronomia Criativa pela Unesco. Com um açaí muito diferente do que comemos no eixo Rio-São Paulo, muitos peixes e frutos do mar, Belém é o lugar certo no Brasil para encher o bucho deliciosamente e de uma forma muito diferente dos outros lugares (a comida típica de lá é bem exclusiva).

Mas essa culinária mundialmente famosa também tem seus poréns: restaurantes grandes e caros. Por isso, para comer bem e barato no Pará, é preciso apostar em restaurantes simples, mas que ainda apostam na temática do estado. O restaurante Tomaz é um exemplo: sem luxos, mas com um vatapá de R$14 muito elogiado.

A sorveteria é um ponto famoso na cidade e também vale a pena conferir. O custo benefício vale bastante a pena. Um sorvete na casquinha que vale por 3, com cobertura custa R$6,50.

10. Cidade do Panamá – Panamá

Peixe, arroz e lentilhas 📷 alfaltendorf 

Peixe frito, arroz e plantones 📷 ex_magician

Os panamaenses pegaram a paixão dos americanos por hambúrgueres e gourmetizaram, mas mantendo o preço camarada. No país, é muito comum encontrar hamburguerias por toda parte, com aqueles hambúrgueres gigantes que vemos no Brasil nos restaurantes badalados, mais batata frita e mais refrigerante. Tudo por 12 dólares.

Em restaurantes como o Brickhouse., com a alta do dólar, o valor convertido pode parecer bem salgadinho, mas com certeza, pelo tanto que vem, vale a pena.

Se o dinheiro realmente apertar, vale a pena apostar nos shoppings: todos eles têm os clássicos fast foods americanos e o preço geralmente é mais em conta.

 

📚 Sobre a autora 📚

Larissa Moreira gosta de gatos, filmes de terror ruins, viagens de última hora e de adiar o despertador cinco vezes. Você pode acompanhar as viagens de Larissa em seu Instagram.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/comer-barato-na-america-latina/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Iami Gerbase (Hostelworld)

Brazilian journalist tired of hearing "You don't look Brazilian". Loves to taste street food, read at the beach and watch Naked and Afraid. Would also like to be able to live in Florianópolis, Hanoi and Paris at the same time.

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.