8 coisas que você vai aprender ao viajar sozinha

8 coisas que você vai aprender ao viajar sozinha

O “ser mulher” é diferente e, ao mesmo tempo, similar, em cada canto do mundo – e apenas pesquisando sobre e explorando o mundo é que se descobre essas singularidades. Viajar sozinha é uma experiência sem igual e toda a mulher deveria ter essa aventura pelo menos uma vez na vida, seja por apenas um final de semana ou para aquela cidadezinha perto de casa.

Ao mochilar sozinha você vai perceber que, em muitos destinos, para homens é bem mais fácil viajar sozinho e eles não precisam se preocupar com um bocado de coisas que nós precisamos. Mas isso vai nos deter de viajar sozinhas? É claro que não! Com planejamento e segurança, você pode se jogar nesse mundão na companhia de si mesma e, eu garanto, vai amar tanto que vai ser difícil querer viajar de outra forma depois.

Confira aqui 8 coisas que você vai aprender ao mochilar sozinha e que vão mudar a sua vida e o seu modo de viajar. Vem comigo!

1 – A própria companhia é boa demais

📷@cindy.briito

Você + uma mochila/mala com o essencial + o mundo. Essa é uma combinação que pode assustar, mas é também uma que pode para sempre transformar a sua vida. Viajar sozinha é aprender a conviver consigo mesma, a apreciar a própria companhia e a refletir sobre quem você é, sobre a sua vida e sobre esse mundo tão diverso que existe ao seu entorno.

Apenas sozinha você vai ser confrontada com uma série de pensamentos e reflexões sem interferências dos pensamentos e reflexões de outras pessoas. Apenas sozinha você vai contar piadas para si mesma, rir delas e então rir de si mesma por ter rido da própria piada. E isso não quer dizer se isolar do mundo ao viajar sozinha (veja os itens 3 e 4), mas desfrutar dessa “solidão contemplativa” de vez em quando.

As vantagens práticas são também diversas. Onde vai ser o passeio hoje? Em qual restaurante e quando almoçar? Pegar ônibus ou táxi? São tantas perguntas que surgem ao viajar que, em grupo, as brigas vêm fácil e o que era simples pode virar uma discussão. Ao viajar sozinha, as decisões (e as consequências dessas) vão ser todinhas suas, então cada vez mais você faz escolhas baseadas no que já percebeu que gosta e que dá certo para o seu estilo viajante.

2 – O silêncio tem grande valor

📷@astaclivo

Tente lembrar a última vez que você ficou mais de 1h sem dizer uma palavra ou conversar com alguém via mensagens. Difícil né? Ao viajar sozinha, por vezes você vai ficar longos períodos na companhia apenas de seus pensamos e… isso é MARAVILHOSO.

Atualmente estamos sempre respondendo no Whats, ouvindo música, rolando o feed do Instagram, escrevendo um email, vendo uma série… Cansa só de pensar! O cérebro precisa relaxar e isso também significa momentos do bom e velho silêncio. No dia a dia é difícil fazer isso acontecer, eu sei, mas ao viajar você tem a oportunidade perfeita de descobrir o quanto a calmaria mental pode ajudar.

Museus são os lugares onde o silêncio mais vem naturalmente, sendo possível ficar horas dizendo apenas um “Obrigada” para alguém que segurou a porta para você. Mas também acontece muito naquele trajeto de ônibus, naquela caminhada sozinha na praia, em um templo, em um parque. A quantidade de pensamentos doidos, interessantes e profundos que você vai experienciar vai trazer autoconhecimento, reflexão e muita paz interna.

3 – Mulheres se ajudam e se apoiam

Viaggiare sicuri in Egitto - a l'orizonte

📷@astaclivo

Sabe aquele momento em que você está no escritório, percebe que a menstruação veio antes do esperado e não tem um único absorvente na bolsa? Você manda uma mensagem no grupo das amigas e, em menos de um minuto, tem na sua mesa umas cinco marcas e modelos para escolher. Elas já estiveram nessa situação e sabem o valor de uma ajuda “simples” dessas.

Pode parecer um exemplo bobo, mas é bem assim que você vai se sentir ao pedir ajuda para outras mulheres viajantes. É estar em um dormitório feminino de hostel, pedir uma dica ou um shampoo, e um pequeno círculo de ajuda rapidamente se forma. Já ouvi muito “Pode ir, é de boas” de um viajante homem e, logo depois, uma viajante rebatendo: “Na verdade eu não iria sozinha lá não”. Só uma mulher vai saber como é ser mulher e estar em determinado lugar.

Então, depois de algum tempo mochilando, você vai saber que, se algo acontecer, se você precisar de alguma ajuda, pode contar com uma rede de mulheres para te ajudar. E isso não se aplica apenas às colegas viajantes! As mulheres locais também podem (e com certeza vão) te ajudar muito: mesmo sem compartilhar uma palavra na mesma língua, há coisas comuns entre as mulheres do mundo inteiro, e apenas um olhar pode dizer tudo.

4 – É fácil fazer amigos do mundo inteiro

📷@iamigerbase

Você foi sozinha, mas isso não significa, de forma alguma, que você tem que passar o tempo todo sozinha. Mochileiros são extremamente simpáticos e solícitos, sendo o típico “Hi! Where are you from?” o jeito mais comum de começar conversas pelos hostels, ônibus, bares e cachoeiras desse planeta.

Se você não quiser fazer aquele passeio sozinha, pergunte na recepção do hostel se eles sabem de alguém que pretende visitar o mesmo local. Se não sabe muito por onde começar a explorar a cidade, pergunte para as suas companheiras de dormitório e, quase sempre, vão surgir ideias e convites de parceria. Se for mais introspectiva, aquela atividade do hostel é o momento perfeito para fazer amigos sem esforço algum.

No final das contas, a principal medida para fazer amigos ao viajar é ficar em hostels – e se você acha que falo isso só porque escrevo para o Hostelworld, é porque nunca ficou em um! Escolha um destino mochileiro, descubra o seu tipo de hostel e faça amigos do mundo inteiro.

5 – Nem todo o lugar é tão receptivo

Encorajar mulheres a viajarem sozinhas é uma coisa, outra bem diferente é vender um mundo maravilhoso onde não há perigos e tensões. Como brasileiras, sabemos muito bem o quão assustador andar por uma rua escura pode ser, o quanto de assédio se pode ouvir nas ruas e como, em certos ambientes, a presença de uma mulher não é “bem vista”.

E o mundo é assim também, com partes receptivas para mulheres viajando sozinhas e outras nem tanto. Por vezes já me encontrei em uma situação em que era a ÚNICA mulher do local e a quantidade de olhares não era nada agradável. Em outras, guias foram extremamente inapropriados e, em outros momentos, viajantes homens acharam que a bebida era desculpa para se comportar como idiotas. Infelizmente, nada muito novo né?

Isso quer dizer que mulheres não devem viajar sozinhas? Não mesmo! O importante é sempre unir um combo essencial: precaução e informação (até rima 😂.)

Se vai visitar um país reconhecidamente “pouco convidativo” para mulheres, pesquise, incansavelmente, dicas e mais dicas de como se manter segura. Além de diversos posts sobre segurança, você pode recorrer a grupos de Facebook de mulheres viajantes ou sites específicos sobre viajar pelo local. O importante é ter informação, tomar as precauções recomendadas e seguir a sua melhor amiga: a intuição.

6 – A intuição é a sua melhor amiga

📷@iamigerbase

“Hmmm, tô achando esse rolê estranho”. Quantas vezes essa vozinha já surgiu na sua cabeça? Por vezes achamos que é bobagem, mas ouvir a intuição é aquilo que a gente não dá valor até o dia em que realmente entende o seu valor.

Seja em um táxi, em um passeio com um guia inapropriado ou em um bairro escuro, se não se sentir bem, faça algo sobre. Pode acabar não sendo nada, mas você definitivamente não precisa pagar para ver e, nessas horas, dinheiro e tempo não devem importar mais do que a sua segurança.

E aqui me refiro a questões de segurança bem “práticas” também: uma van muito antiga em uma estrada esburacada durante uma chuva torrencial definitivamente não é uma boa combinação (sim, eu passei por isso e agradeço ao universo por estar viva!). Com o tempo você também vai aguçar o seu “É cilada!” e vai ficar muito mais fácil de fazer escolhas seguras.

7 – Há mulheres inspiradoras em todos os cantos do mundo

📷@iamigerbase

Qual o sentido de viajar? Qual o motivo que faz você querer conhecer o mundo? Ver paisagens lindas e construções fantásticas são, com certeza, grandes objetivos que alimentam a vontade de explorar o mundo, mas são as experiências, conexões e inspirações que fazem o viajar se transformar parte da sua vida.

Ao conhecer pessoas, ouvir histórias e compartilhar experiências de vida e de viagem, começamos a ver o mundo de forma mais diversa. E essas trocas por vezes são ainda mais significativas quando entre mulheres, visto que certas vivências femininas se conectam e incitam os mesmos sentimentos.

Pode-se conversar desde coisas simples como pratos típicos e músicas locais, até relacionamentos e tradições ou assuntos mais profundos, como a percepção do machismo e padrões de gênero no país originário de cada uma. O que com certeza vai fazer parte do seu mochilão sozinha é o encontro com muitas mulheres inspiradoras, basta se abrir para esse contato.

8 – Você é muito mais forte do que pensa

📷fridahostel

O mito do “sexo frágil” não poderia ser maior falácia – e viajar sozinha vai te mostrar isso em muitos momentos. Não só você vai se inspirar com a trajetória e vida de outras mulheres (como comentado acima), mas você vai se surpreender com a sua capacidade física e mental de encarar desafios e encontrar soluções.

Sejam os desafios físicos – uma trilha montanha a cima, uma aula de yoga ou de salsa em seu hostel, uma escadaria gigantesca para chegar a um mirante – ou os mentais – fazer decisões rápidas e assertivas, desopilar daquele perrengue e respirar fundo para não surtar quando tudo dá errado – viajar é desafiar a si mesma. Após a vitória, nada mais merecido do que aquele “tapinha nas costas” mental e um orgulho próprio.

Errando e acertando, se parabenizando ou repensando uma decisão, você vai, ao longo do caminho, não só aprendendo, mas percebendo sua força interior que sempre esteve lá. Então não tenha medo de viajar sozinha pela primeira vez: tome coragem, leia bastante sobre o destino e sobre ser uma viajante solo por lá, confie na sua intuição e SE DESCUBRA.

E você, o que aprendeu ao viajar sozinha? Conta para a gente nos comentários!

Leia também:

📚 Sobre a Autora 📚

Meu (estranho) nome é Iami, sou formada em jornalismo e fui estagiária do Hostelworld em 2018. Eu amo provar comida de rua, ler na praia e assistir a “Largados e pelados”. Lugar preferido: Praia de Palmas, SC, Brasil. Hostel preferido: Bananas Bungalows, Krabi, Tailândia. Você pode seguir os meus rolês por aí no Instagram @iamigerbase.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/coisas-que-voce-vai-aprender-ao-viajar-sozinha/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Iami Gerbase (Hostelworld)

Hi! My (weird) name is Iami and I'm a Brazilian journalist tired of hearing "You don't look Brazilian". I love to taste street food, read at the beach and watch Naked and Afraid. 🌏 Favourite place on earth: Praia de Palmas, SC, Brazil. 🏠 Favourite hostel: Bananas Bungalows, Krabi, Thailand. You can follow my travels on Instagram: @iamigerbase.

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.