3 cidades da Bélgica para conhecer em 3 dias

3 cidades da Bélgica para conhecer em 3 dias

Logo no início da primavera europeia o sol começa a sair, vamos deixando os casacos de lado e começamos a pensar no verão e nas viagens que faremos durante os meses de calor. Aliás, a primavera e o verão são as melhores épocas para se viajar no continente europeu se o seu foco for andar bem muito e fazer programas ao ar livre. Éramos três amigas em busca de aventura no nosso primeiro verão europeu juntas, mas sem destino certo. Até que, procurando no google sobre opções de destino, nos encantamos com a Bélgica e a variedade de coisas que poderíamos fazer entre uma cidade e outra com o nosso budget. É de bastante importância lembrar, aliás, que por estar dentro da área Schengen, brasileiro não precisa de visto para viajar pelo continente por até 90 dias.

Bélgica, o país europeu que faz divisa com França, Holanda, Luxemburgo e Alemanha, é rico em cultura com sua arquitetura renascentista enfatizando geometria, proporções e simetria; história; sua variedade de museus; prédios históricos; arte e, principalmente, sua variedade linguística. Sendo as línguas oficiais do país o holandês, o alemão e o francês. Uau!

Internacionalmente conhecida por possuir uma das três principais instituições da União Europeia, o Parlamento Europeu (imagina várias decisões importantes que são tomadas ali!), e uma sede da ONU, a cidade também conta com outros pontos turísticos de tirar o fôlego!

Antes de começar o roteiro de viagem, é sempre bom estruturar as suas prioridades, o que você deseja conhecer e fazer uma lista. Listas sempre ajudam quando você tem certa tendência a esquecer algo aqui ou ali. Então vamos começar? A moeda local é o euro. Às vezes não se aceita cartão em pequenos estabelecimentos, então é bom ter uma pequena quantia em espécie. Baixe um mapa offline, nem sempre encontramos Wifi pelo caminho – embora, na minha experiência, eu tenha deixado a cidade me surpreender, pois as ruas são encantadoras.

Checklist feito? Então vamos ao que interessa:

Antwerp: Entenda como surgiu o nome da cidade

A primeira cidade dessa jornada chamou minha atenção, pois, ao desembarcar do ônibus às 10h da manhã, minha primeira impressão foi de uma cidade extremamente alegre. Havia bastante movimentação em uma praça perto, crianças correndo pra lá e pra cá, sol da manhã e a estação de trem ao fundo!

Rumo ao centro, era impossível não se encantar com os pequenos restaurantes e as ruas estreitas e tudo é tão próximo que sem perceber já estava no Grote Markt, que é a praça central da cidade. Ao redor dessa praça tem uma variedade enorme de cafés e restaurantes e a Câmara Municipal, que conta com diversas bandeiras de países europeus.

Além disso, vou compartilhar uma curiosidade com vocês: como na foto, a estátua de Brabo Fountain fica bem central na frente da Câmara Municipal. Diz à lenda que a estátua tem ligação com o nome da cidade, mas irei explicar melhor essa história: Um dragão gigante, chamado Druon Antigoon, cortava a mão dos capitães de embarcações que passavam pela área, mas não pagavam taxa, e as jogava no rio Scheldt. O capitão do exército romano, Brabo, cortou a mão do gigante em retaliação. A fonte mostra justamente o momento em que Brabo arremessa a mão do gigante no rio. Antwerp ou Antwerpen seria a junção de duas palavras do holandês: (h)ant = mão e wepen = arremessar.  A cerimônia de inauguração da escultura aconteceu em 1887.

Que história, né? Seguindo pelo centro, é possível também visitar a catedral de nossa Senhora, ou Onze-Lieve-Vrouwekathedraa, cuja maior torre possui 123 metros! Sendo assim o prédio mais alto da cidade. São 34 vitrais, 47 sinos, 4 pinturas de Peter Paul Rubens e 9 de outros artistas. A entrada custa 5€ e o horário de funcionamento começa a partir das 11h. Clique aqui para mais informações.

Após passarmos o dia em Antwerp, seguimos rumo a Gent. Dentro da estação, existem guichês onde é possível comprar o ticket. Mas existem também terminais rápidos onde você mesmo faz a compra do bilhete. Em média, o ticket custa cerca de 7€.

Se optar por ficar mais de um dia na cidade, o Yust Antwerp pode ser uma ótima opção. Bem localizado e com eventos únicos, o hostel fica há 8 minutos da estação de trem. As instalações do hostel são novas e o hostel possui um terraço com uma bela vista da cidade. Além disso, o hostel oferece wifi, ar condicionado, um jardim vertical e uma recepção sempre pronta para te ajudar! Uma dica é procurar por locais próximo ao centro para não precisar gastar dinheiro com transporte dentro da cidade. Além disso, comprar comida no mercado ou em tendas sai mais em conta do que almoçar e jantar em restaurantes.  Os pontos turísticos são relativamente perto e a maioria das coisas pode ser feita a pé, ou, de bicicleta (mais ou menos 12€ por dia).

Gent: Um Domingo pela cidade

Desembarcando em Gent, o que você vai ver de primeira e vai ficar admirado é a quantidade de bicicletas que estão estacionadas do lado de fora da estação. Isso já fala bastante sobre a forma de transporte local, né? Outra curiosidade é que tanto em Antwerp quanto em Gent, o idioma é o holandês e o alemão. É bem fácil de andar na cidade, pois existem placas apontando para os pontos turísticos e com menos de 30 minutos andando você já está na praça principal, nomeada de Vrijdagmarkt.

Próximo a praça, tem um canal, onde você pode caminhar para a parte mais turística da cidade e esbarrar em alguns lugares ótimos para comer (sabe aquele waffle que a gente tanto quer comer na Bélgica?) enquanto admira o castelo Gravensteen. O ticket individual custa 10€ (se você for menor de 26 anos custa apenas 6€!) e o horário de funcionamento vai das 10h às 18h.

Lembrete: muitos mercados e lojas estão fechados no domingo, portanto não se esqueça de comprar o lanche no dia anterior. Mas os bares e restaurantes próximos ao centro oferecem uma grande variedade de comidas típicas nacionais e internacionais, além de diversos tipos de cervejas.

Se depois de um dia inteiro caminhando por essas ruas estreitas e visitando castelos incríveis você estiver pensando em dormir na cidade, o Hostel Uppelink  pode ser o seu destino. Situado bem no centro histórico da cidade, o hostel é comandado por uma família e oferece free walking tours pela cidade além de provas de cerveja belga!

Bruxelas: capital da política europeia

Chegando a Bruxelas desembarcando na estação de trem, nos deparamos com prédios altos e modernos. Outra diferença é a língua, já que, situada mais ao norte, a cidade está na região com maior influência francesa. O ticket de Gent, saindo de Gand-Dampoort, a Bruxelas custou o mesmo que de Antwerp a Bruxelas, por estarem todas as cidades inseridas na mesma zona. Relativamente longe do centro está a Grand Place, onde também está situada a Câmara Municipal do século 15. Visitar a noite é ideal para aproveitar as luzes que iluminam toda a região, transformando-a num cenário de filme!

E falando em filme, quem nunca se imaginou vivendo em um castelo com todos os belos jardins e estilo de vida glamoroso. E por isso a dica de visitar o Palais Royal. Apesar de a família real não mais viver lá, o castelo fica aberto ao público durante o verão. De 23 de Julho a 25 de Agosto o palácio pode ser visitado de graça! E funciona de 10:30h às 15:30. Anotou?

Por último, aquele símbolo da Bélgica, que você já viu alguma foto ou já ouviu falar ao menos uma vez! O Atomium fica situado no Heysel Park e foi inaugurado em 1958. O ticket para conferir essa estrutura de perto custa 15€ (estudante paga menos!) e você pode agendar sua visita online. A estrutura no total chega a atingir 102 metros de altura. Para chegar ao local é recomendado pegar a linha 1A do mêtro e desembarcar na estação “Heysel”. Há quem faça o trajeto a pé e admire a vista…

Por ser uma cidade maior que Gent e Antwerp, Bruxelas oferece uma variedade maior de pontos turísticos. Se você optar por passar mais dias na cidade, uma dica seria o Sleep Well Youth Hostel: que te oferece uma ótima localização para fazer passeios pelo Market e pela Grand Place. Além disso, o hostel possui um bar com diversas opções de cervejas locais e buffet de café da manhã.

A cidade tem uma grande variedade de museus, atrações e arquitetura, mas resumir tudo isso em uma única postagem por vezes se torna uma tarefa desafiadora. Se você se interessou e gostaria de visitar lugares não tão óbvios da capital, clica aqui e dá uma conferida nas dicas! 

📚 Sobre a Autora 📚

Marie Barbosa é daquelas que coloca o despertador pra tocar a cada dez minutos e ama tirar um cochilo, mas falou em viagem ela é a primeira a acordar e estar com a mala pronta. Não é a toa que está tentando a vida em seu terceiro país, pra acompanhar mais @mariesbarbosa.

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/3-cidades-da-belgica-para-conhecer-em-3-dias/?lang=pt-br
Youtube

Sobre o Autor

Laura Carniel

I'm Laura, Brazilian, and I'm obsessed with dogs, films, sharing good stories with friends and discovering quirky places. Social Media & Content Executive and #HostelworldInsider at Hostelworld. 🌏 Favourite place on earth: London, UK. 🏠 Favourite hostel: Oki Doki Hostel - Warsaw, Poland. Follow my travel adventures and loads of dogs on Instagram @astaclivo 🐶✈️

Inspire-se

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.