Viajar Barato no Rio de Janeiro: Guia prático para mochileiros econômicos

Viajar Barato no Rio de Janeiro: Guia prático para mochileiros econômicos

“Viajar barato e Rio de Janeiro na mesma frase?” “Tem certeza que isto é possível?” A gente ousa a dizer que… é sim! E convidamos a Manuela, moradora da Cidade Maravilhosa e autorado blog When in Rio, para fazer este guia prático que vai te explicar direitinho como fazer uma viagem barata para o Rio de Janeiro.

Aqui você vai aprender a driblar os preços surreais e aproveitar as belezas naturais do Rio, todas de graça. Além disso, também temos boas opções de programas noturnos baratinhos ou até gratuitos! Vem ver:

Hospedagem Barata no Rio

Primeiro conselho para viajar barato no Rio, mas também em qualquer outro destino: fique em hostels. <3

E sabia que no Rio tem bons hostels e albergues com diárias até R$50, em pleno verão e no fim de semana? Sim! Se liga na seleção que fiz pra vocês. E sem furada, hein. Todos eles têm nota superior a 8 aqui no Hostelworld.

Aliás, você sabia que no sistema de buscas do Hostelworld dá pra colocar preço máximo? Eu sempre faço assim: coloco o maior preço que estou disposta a pagar e depois o filtro ‘rating’ com a nota mínima que eu considero aceitável. Fica a dica pras próximas viagens!

A partir de R$32

A partir de R$45

A partir de R$53

A partir de R$50

viajar barato no Rio de Janeiro

📷: Carol Guido

Transporte no Rio de Janeiro

O metrô é o melhor jeito de se locomover no Rio, principalmente se você vier no Carnaval, em que ele funciona 24h e o trânsito da cidade simplesmente pára com milhões de blocos desfilando.

No primeiro dia compre um cartão pré-pago e coloque alguma quantia. Isso vai te fazer economizar muito tempo de filas. Mesmo se ele acabar antes da hora, você consegue recarregar em máquinas de pronto atendimento nas estações. Ah, e você não paga nada a mais pelo cartão e nem tem nenhuma burocracia!

Para sair à noite, o ideal é ir de transporte público e voltar de táxi/Uber/Cabify. Uma boa dica é baixar o app Vah: ele compara o preço da corrida em todos os aplicativos disponíveis: táxis (os apps 99 táxis e Easy Táxis volta e meia estão com desconto de 30%), Uber e Cabify. Se for novo no Cabify, use meu código WHENINRIO pra ganhar 50% de desconto nas 3 primeiras corridas (até R$20 de desconto por corrida).

Aliás, dependendo do trajeto e da quantidade de pessoas, vale até a pena pegar na ida também, já que a passagem de ônibus e metrô aqui no Rio já está na faixa dos R$4. 🙁

Alimentação: Comer barato no Rio

📷: Lovely for Living

Sair pra comer é tentador, eu sei, mas que tal comprar umas coisas no mercado e cozinhar no Hostel? Numa dessas você ainda acaba participando de um jantar coletivo com novos amigos! Quando não der pra fazer isso, eu sugiro a vocês procurarem sempre restaurantes que tenham opção de PF (prato feito) ou prato executivo, como é chamado em alguns lugares, e também restaurantes a quilo. A título de referência, na Zona Sul eu considero restaurantes na faixa dos 30 reais/kg baratos, na faixa dos R$40 com preço bom, e acima disso são caros.

Se tiver com alguma folguinha de orçamento, separe um dia para fazer uma refeição de gala. Eu costumo fazer isso nos meus últimos dias de viagem, porque dá pra ter uma noção melhor de quanto dinheiro tenho disponível. Viu como também dá pra ser feliz economizando? Só organizar direitinho, rs.

Farofe à vontade

📷: Carol Guido

Outra boa forma de viajar barato no Rio de Janeiro é levar coisas para beber no isopor para a praia, pro bloco ou até pro rolê noturno. Aqui no Rio isso é normal. Uma coisa boa daqui é que, em regra, nós não temos muita preocupação com essas coisas, sabe? No Rio é tudo muito espontâneo, tá todo mundo meio duro por causa da crise, então se joga. Ninguém tá te julgando. 🙂

Coisas gratuitas para fazer no Rio de Janeiro:

Mirante Dona Marta, Santa Teresa

viajar barato,rio de janeiro

📷: Victor Fernandes

Se você não é daquelas pessoas que faz questão absoluta de ir nos pontos turísticos tradicionais para riscar da lista, se liga: tem um lugar em Santa Teresa, perto da entrada pro Cristo Redentor, que se chama Mirante Dona Marta. Dali, você vai ter em um só lugar, duas das vistas mais impressionantes do Rio: o Pão de Açúcar de um lado e o Cristo do outro. É de graça e fica bem menos caótico cheio. Olha a vista:
O lado ruim (sempre tem) é que não dá pra chegar lá de transporte público. Quer dizer, até dá,  mas é meio complicado. Mas como você vai economizar uma boa grana com os ingressos, então super dá pra rachar um táxi/Uber/Cabify, né não?

Ah, informação importante: o sol se põe pro outro lado, então o visual mais incrível é no nascer do sol. Se for nesse horário, vá sempre em grupo. Mas se não tiver como, não deixe de ir: o lugar é lindo a qualquer hora do dia!

Largo dos Guimarães, Santa Teresa

Aproveite que você já está em Santa – apelido para os íntimos – e desbrave o bairro mais charmoso do Rio. Normalmente eu falaria para você andar de bondinho, mas o que antes era de graça hoje custa R$20! Eu acho muito caro, mas já andei mil vezes, né. Então se você fizer questão, vai sim que é bem legal. Se não, vê-lo passando sem aviso prévio nas suas andanças pelo bairro também já é uma boa experiência.

No Largo dos Guimarães, tem várias lojinhas de artesanato, casas lindas e um quê de Rio antigo. Mas o meu lugar preferido do bairro é o Parque das Ruínas, que funciona como um centro cultural. Às vezes rolam uns eventos de gastronomia e música, mas só a vista do Pão de Açúcar e esse prédio exótico já valem – e muito – a visita.

Trilha Cláudio Coutinho, Urca

Uma forma de baratear a ida ao Pão de Açúcar e ainda fazer um programa fitness é subir a trilha Cláudio Coutinho, que começa na Urca.

Ela é super leve, dá pra fazer em torno de 30 minutos e eu já vi tanto crianças quanto pessoas mais velhas fazendo. É bem tranquilo, principalmente se você andar no seu tempo, com calma.

Pela trilha, você chega no Morro da Urca, que é o nome do morro mais baixo do Pão de Açúcar. Dali, você tem algumas opções:

  • Pegar o Bondinho pro segundo morro pela metade do preço (R$20, meia entrada)
  • Curtir a vista dali mesmo e descer de trilha (até 19h, depois disso o acesso é fechado)
  • Curtir a vista dali mesmo e descer de bondinho por apenas R$10 (meia entrada)

Trilha Pedra Bonita, São Conrado

O Rio tem várias trilhas com visuais incríveis, mas a que eu sempre recomendo é a da Pedra Bonita, que começa no bairro de São Conrado. Ela é leve e rápida (de 30 a 40 min) e tem uma vista maravilhosa. Para os mais aventureiros, é possível ir de madrugada e assistir o nascer do sol lá de cima. Mas vá sempre em grupo e dá aquela checada na pilha da lanterna antes!

Praias no Rio… e mais praia

📷: Carol Guido

Eu sei que você não precisa que eu te fale isso, mas o Rio tem várias praias maravilhosas. Na praia mais famosa do mundo, Copacabana, eu prefiro o cantinho esquerdo que já até vira outro bairro: Leme. Fica um pouco mais vazia e é menos turística. Além disso, tem o Caminho dos Pescadores, mais conhecido como ‘Mureta do Leme’, que é ótimo para curtir um fim de tarde com a música dos quiosques e uma cervejinha gelada.

Ipanema também é uma parada obrigatória, principalmente pelo pôr-do-sol. No verão, ele se põe bem na água e é provavelmente um dos mais bonitos do mundo. Muita gente assiste do alto da Pedra do Arpoador, mas eu particularmente gosto de estar na areia e entrar na água bem na hora que começa o espetáculo. Chega a ser emocionante!

Para os mais desbravadores, o Rio também tem praias mais vazias, mas que ficam um pouquinho mais longe de quem está na Zona Sul. São várias: Praia da Barra, Recreio, Reserva, entre outras. Para a prática do surf, as mais procuradas por suas ondas constantes são a Prainha e Macumba. Grumari e Joatinga também são queridinhas, mas no fim de semana pode ser difícil conseguir vaga. De todas essas, a da Barra é a que é mais acessível para chegar de transporte público, ainda mais agora que tem metrô (linha 4 – estação Jardim Oceânico).

Passeio de bicicleta pela Lagoa

Outro passeio que eu amo fazer é pegar uma bicicleta e dar uma volta na Lagoa. O jeito mais econômico de fazer isso é usando as bicicletas do Itaú. O passe diário custa R$5,00 e você pode usar o dia inteiro, em viagens de até 60 min com 15 min de intervalo entre uma e outra. No site deles tem tudo bem explicadinho, com as dúvidas frequentes e tudo que você precisa saber.

Parque Lage

Park Lage rio

📷: Victor Fernandes

Mais um programa delícia para se fazer em uma viagem barata para o Rio e que pode ser feito no mesmo dia do passeio na Lagoa é o Parque Lage, no bairro do Jardim Botânico. Ao contrário do Jardim Botânico oficial, que custa R$15 para entrar, o Parque Lage tem entrada gratuita.

O prédio é escandalosamente lindo e dali se tem um ângulo com vista incrível pro Cristo, que você provavelmente já deve ter visto alguma vez no Instagram, rs.

Ali funciona o Cafe du Lage, que é famoso pelo café da manhã. Mas a minha dica para os mochileiros é passar no mercado, levar uma toalha e fazer um belo piquenique nos jardins do Parque. Outra dica boa é ir pela manhã, pelo menos no verão, pra curtir o parque com  temperaturas um pouco mais amenas 😉

Mureta da Urca

Outro programa clássico no Rio que também é de graça! O fim de tarde pós-praia na Urca é um perfeito momento de transição do mood dia para a noite, com uma cervejinha gelada e um clima descontraído. O Bar Urca (Rua Cândido Gaffrée, 205) é o mais tradicional, e tem uns petiscos deliciosos. Mas… é caro.

Já que estamos falando de viajar barato para o Rio de Janeiro, vamos aos fatos: a mureta da Urca é enoorme. O pedaço do Bar Urca é o mais concorrido e muitas vezes nem lugar tem. Mas ali é o pedaço high society, digamos assim. A parte mais humilde foi apelidada carinhosamente pelos cariocas de “Pobreta” da Urca, hahaha. O melhor pedaço tem vista pro Cristo e fica em frente à cabine da PM e do Urca Grill (Rua Marechal Cantuária, 10), onde dá pra comprar cerveja a preço justo.

Vida noturna gratuita

📷: Victor Fernandes

Chegou a hora de falar da minha especialidade, hahaha. No Rio tem muita coisa pra fazer de graça ou pelo menos por pouco,  e geralmente em lugares abertos. Amo/sou <3

Lapa

Lugares para viajar no Rio? Ah, a Lapa. Um clássico da noite carioca: ame ou odeie, fato é que é um dos lugares mais democráticos da cidade. Tem gente de todas as tribos, todas. Mas também pudera: tem samba, rock, funk, MPB. Tem boteco, tem bar arrumado e restaurante caro. Admito que não tenho ido muito, mas eu particularmente gosto de ficar do lado de lá dos Arcos (de quem vem da Zona Sul), pois acho a atmosfera mais agradável.

Um ponto obrigatório é o Bar da Cachaça (esquina da Gomes Freire com a Mem de Sá), que tem uma variedade incrível de cachaças em um ambiente bem descontraído. E para comer com pouquíssimo dinheiro, que tal um salgado de 1 real (Rua do Lavradio, 172)? Juro que é gostoso, hahaha, já comi várias vezes!

Não tenho espaço suficiente aqui pra dar todas as dicas da Lapa, então se você quiser evitar furadas, dá uma olhada nesse post aqui do blog.

Pedra do Sal

A Pedra do Sal foi onde o samba nasceu, então nada mais natural que lá tenha um dos melhores sambas da cidade. O clima é bem descontraído: ambulantes vendendo cerveja, o samba no meio e as pessoas se acomodando nas ladeiras e escadas ao redor.

Uma boa dica é ir mais cedo e conhecer os arredores também. Dá pra fazer tudo a pé: Museu do Amanhã, Museu de Arte do Rio (tem um terraço incrível), o mural de street art do Kobra no Boulevard Olímpico e até o bucólico Morro da Conceição, que fica logo acima da Pedra do Sal. Tem um roteiro completo e detalhado da região nesse post aqui.

Quando? Samba toda segunda e sexta, a partir das 18h. Tem também Jazz, às terças, a partir das 19h. (programação sujeita a alterações)

Praça Tiradentes

Outro lugar que sempre tem música boa e gente jovem reunida é ali nos arredores da Praça Tiradentes, também chamado de Beco das Artes.

O Bar do Nanam, na rua Imperatriz Leopoldina, tem programação eclética, como música latina às terças, Jazz às quartas e sábados, forró às quintas e opções variadas nos demais dias. Claro que a programação pode ser alterada a qualquer momento pelo bar, mas pode confiar que é sempre música boa!

Mais opções no Rio?

📷: Carol Guido

Esses são os lugares que sempre tem opções gratuitas, mas para saber o que está rolando de bom e barato a cada fim de semana, lá no meu blog When in Rio eu posto religiosamente toda quinta a agenda. Nela eu seleciono e divulgo as melhores festas e eventos do fim de semana, sempre com foco nas opções de graça e com uma pegada mais alternativa. Só procurar por este porquinho simpático 🐷 ao lado dos eventos no post. Seu bolso agradece!

Obs: Os valores citados neste post estão sujeitos a alterações. Não deixe de checar diretamente com cada estabelecimento para saber os preços atualizados!

E ai? Agora acreditam que uma viagem para o Rio não precisa sair tão cara? Divirtam-se!

📷 Foto da capa: Victor Fernandes

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/viajar-barato-no-rio-de-janeiro/?lang=pt-br
Youtube
Pinterest
Pinterest

Sobre o Autor

Carol Guido

Inspire-se

One Response to “Viajar Barato no Rio de Janeiro: Guia prático para mochileiros econômicos”

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.