Tudo que você precisa saber para encontrar trabalho em troca de hospedagem em hostels

Tudo que você precisa saber para encontrar trabalho em troca de hospedagem em hostels

Sempre recebemos dúvidas de mochileiros nas nossas redes sociais (já está seguindo a gente? Aqui o nosso Twitter, Facebook e Instagram) sobre trabalho em hostels. Apesar de sermos uma ferramenta de busca e reserva de hostels, nós não podemos deixar de responder e dar esta mãozinha. Afinal, este é o espírito de um “hosteller”!

Para nos ajudar a responder todas as dúvidas, pedimos ajuda para o pessoal do Worldpackers e para a Andira, do blog Sexo, Viagens e Rock’n’Roll. Esperamos que este post seja útil e inspirador! Sem mais delongas, com a palavra, Andira:

Andira Sexo Viagens e Rock and Roll

Já chegou a ler histórias de pessoas que largaram tudo para viajar e ficou imaginando como elas conseguem realizar essa proeza? Pois saiba que eu consegui viajar o mundo por dois anos voluntariando em hostels de diversos países.

Não foi fácil vender tudo o que eu tinha (casa, carro, roupas, móveis, etc) para me aventurar com uma mochila nas costas, mas essa decisão mudou a minha vida completamente. Hoje, depois de tantas experiências memoráveis, decidi ajudar outras pessoas a realizarem o sonho da volta ao mundo.

No entanto, o maior problema encontrado é como ter dinheiro suficiente ou como se sustentar com o orçamento apertado. Eu viajei e morei em 20 países diferentes, sempre me hospedando em hostels e trabalhando em troca de acomodação. Quer saber como fazer isso? Vem comigo.

Como encontrar trabalho

Algumas pessoas preferem mandar e-mail, outras pessoas saem batendo de porta em porta. Eu, particularmente, prefiro utilizar plataformas que facilitam o contato com hostels no mundo inteiro, assim posso ter certeza de que não estarei entrando em encrenca de forma alguma.

As mais conhecidas são Worldpackers, Workaway e HelpX, sendo que eu já usei as duas primeiras viajando sozinha e em casal. O mais interessante é que, além de hostels, as plataformas englobam outros locais de voluntariado como ONGs ou fazendas orgânicas e de permacultura. Como qualquer tipo de serviço oferecido, existe uma tarifa de utilização e a mesma vai variar de plataforma para plataforma. Sendo cobrada por adesão e anuidade ou somente por aplicação para vagas disponíveis.

Depois de ter tido 10 tipos diferentes de trabalho voluntariado em troca de acomodação pelo mundo inteiro, eu posso afirmar que a melhor forma de escolher a ferramenta é analisando o tipo de experiência que você busca na sua viagem. Como meu foco era usar minhas habilidades profissionais, o Worldpackers foi a minha escolha principal, justamente por poder procurar trabalhos na minha área de atuação.

Para começar, basta se cadastrar e criar um perfil na plataforma desejada, como uma rede social qualquer. Você deve fazer upload de fotos bacanas e escrever sobre você mesmo, sempre evidenciando suas qualidades e seus pontos fortes. Querendo ou não, esse perfil servirá como um currículo para que hostels possam te analisar e te aceitar como voluntário.

Trabalhar e Viajar

Como ser um bom voluntário

Ao montar seu perfil completo, você irá procurar vagas condizentes com as suas habilidades profissionais ou hobbies que possam auxiliar nos hostels. Seja para ajudar como Recepcionista ou para ser Bartender, a chave para ser um bom voluntário é o comprometimento.

Depois de conversar pelas plataformas e fechar um trabalho voluntário, você estará concordando com as tarefas determinadas na página do hostel. Por isso, ao chegar no local, tenha sempre em mente de que, por mais que seja um voluntário não-remunerado, você se comprometeu a ajudar em troca de hospedagem, ou seja, você precisa fazer um bom trabalho.

É imprescindível que você tenha jogo de cintura e saiba lidar com pessoas de outros países, seja na mímica ou na tentativa de comunicação em inglês ou quaisquer outros idiomas. E, o mais importante de tudo, hostels são ambientes descontraídos e sociáveis, fazendo com que você tenha que se soltar e ser uma pessoa mais aberta, lidando com os hóspedes e outros membros da equipe.

Como escolher o local

Antes de sair fechando viagens como voluntário para qualquer país, faça uma pesquisa antes sobre o clima naquele ano. Quem sabe se você irá enfrentar a maior seca já documentada? Ou o inverno mais severo? É fundamental que você esteja a par disso para fazer sua mochila com as roupas necessárias para sobreviver naquele ambiente.

Além disso, durante sua pesquisa, não se esqueça de procurar saber mais sobre a cultura, costumes e religião do país. Chegar no Marrocos durante o Ramadã ou atravessar a Indonésia em datas comemorativas Hindu ou Budista podem ser grandes desafios, portanto esteja atento a estes pormenores que podem influenciar sua viagem.

Ao escolher um hostel para morar, verifique a localização do mesmo e peça instruções da melhor forma de chegar na cidade. Lembrando que você estará em um país desconhecido e precisará se locomover de forma econômica, independente da barreira do idioma, então sempre pergunte qual a melhor rota saindo do aeroporto.

Trabalhar em Hostels

Detalhes importantes

Alguns detalhes são essenciais para que tudo ocorra da melhor forma possível e você tenha uma experiência inesquecível. Certifique-se sobre a função que você irá exercer no hostel e as suas tarefas diárias, principalmente quantas horas por dia você terá que ajudar e quantos dias de folga você poderá tirar.

Vale a pena também acertar os detalhes acerca da sua hospedagem, se será em um dormitório ou em um quarto privado, banheiro compartilhado e demais benefícios como bicicleta de graça ou passeios gratuitos com tours pela cidade. Cada hostel terá uma política de voluntariado diferente, então você precisa dos mínimos detalhes acertados antes de comprar passagens aéreas para viajar.

Uma das coisas mais cruciais na hora da viagem será o momento de separar a documentação obrigatória para os países que serão visitados. Logo, comece a se planejar com até seis meses de antecedência para fazer a entrevista para pegar o visto, tirar o passaporte e demais documentos de vacinas ou comprovantes para chegar na imigração do país com tudo em dia e organizado.

Obviamente, existem alguns países mais fáceis de se entrar do que outros, mas você irá entrar como turista e não com visto de trabalho, uma vez que você só estará ajudando algumas horas por dia em troca de acomodação. Como brasileiros, países da América Latina e Sudeste Asiático são mais simples e tranquilos na imigração e morar por um tempo.

Viagens Andira

Eu viajei me especializando como consultora em Marketing Digital e Social Media, trabalhando em hostels e hotéis, me apaixonei por uma pessoa em Londres e viajamos juntos pelo mundo todo, contando nossa história no blog Sexo, Viagens e Rock’n’Roll.

Essa vida de viagens não é para todo mundo, mas é a escolha que eu fiz e sou muito feliz assim: com a mochila nas costas, pés no chão e olhos no horizonte. Você está esperando o quê para realizar seu sonho? 🙂

banner worldpackers

Share The World!
INSTAGRAM
EMAIL
Facebook
Facebook
GOOGLE
GOOGLE
/blog/tudo-que-voce-precisa-saber-para-encontrar-trabalho-em-troca-de-hospedagem-em-hostels/?lang=pt-br
Youtube
Pinterest
Pinterest

Sobre o Autor

Carol Guido

Inspire-se

30 Responses to “Tudo que você precisa saber para encontrar trabalho em troca de hospedagem em hostels”

  1. Estou pensando em viajar nessas férias de verão para os EUA.
    Pensei em ficar entre 1 a 2 meses. Caso troque acomodação por trabalho, poderia ir apenas com o Visto de Turista?
    Ou requer um visto de trabalho? Obrigada.

    • Oi, Maria Eliza! Sim, o ideal é que você sempre entre nos países com visto de turista, uma vez que você não estará realizando nenhum tipo de trabalho. Na realidade, trata-se de uma experiência voluntária não-remunerada e você nem precisa mencionar isso quando estiver tirando o visto. 🙂

  2. Texto muito útil e bem escrito! 🙂 Estou aprendendo aos poucos a ser viajante. Cada viagem é uma lição aprendida à respeito de hospedagem, organização e vida. Valeu as dicas!

  3. Uma das minhas dúvidas é em relação aos gastos que a pessoa terá fora do Hostel, como lazer, saúde, locomoção e outras necessidades. Porque o Hostel só cobrirá a hospedagem. Logo, não é tão de graça assim. Aguardo retorno, e parabéns pela experiência!

    • Oi, Lucas! Pois é, os demais gastos serão por sua conta. Algumas pessoas juntam e poupam uma grana antes de viajar, outras trabalham online como freelancer. O jeito é planejar com cuidado essa forma de renda, uma vez que você entrará no país como turista e a experiência de voluntariado nos hostels é não-remunerada. Boa sorte pra ti!

  4. Olá , incrível sua história , tenho esse espírito livre e gostaria de sua orientação de como me preparar para em 2018 fazer o mesmo ! Me ajuda ? Já te agradeço antecipadamente ! Beijos Marta

    • Olá, Marta! Obrigada pelo carinho e apoio, espero que você também consiga viajar o mundo! Como posso ajudá-la? Me manda um e-mail para conversarmos melhor. 🙂

  5. Oi!
    Muito bacana sua história, e então o tempo de voluntariado pode ser quanto eu quiser, porque estou planejando ir para algum lugar fazer esse volunturismo + hospedagem e pensei no final de dezembro pelo Ano Novo até depois do Carnaval, isso é possível?

  6. Andira, tudo bem?
    Adorei seu texto e tenho muita vontade de fazer o mesmo… porém dar o primeiro passo (principalmente no quesito de falar com a familia) é complicado..
    Uma dúvida que eu sempre esbarro mas não encontro ninguém falando sobre o assunto: ao trocar seu trabalho por acomodação vc tem onde morar porém não tem dinheiro para refeições (pois nem todas estão inclusas dependendo do lugar) e até mesmo sair, se locomover etc… nesse caso, vc arranja outro trabalho ou usa suas economias?
    Se puder me passar seu email pra tirar dúvidas seria perfeito 🙂

    • Olá, Marcella! Eu economizei bastante antes de ir e continuei trabalhando online como freelancer, por isso os demais gastos eram cobertos pela renda que eu tinha. Algumas pessoas poupam um valor alto e viajam despreocupadas, outras tentam vistos de trabalho para trabalhar nos países que visitam. Tem que se planejar com antecedência e ver qual é o melhor cenário para você! 🙂 Pode entrar em contato através do andira.medeiros@gmail.com

  7. Olá! Minha ideia é exatamente essa! Mas como é possível sobreviver apenas ganhando hospedagem? é preciso uma grande reserva de dinheiro para outros gastos? (ex: passagem, alimentação, supemercado, etc etc).. como você conseguiu equacionar isso?

    • Oi, Ana! Eu me planejei com antecedência, poupei dinheiro, vendi tudo o que tinha e ainda trabalhei online como freelancer enquando viajava. Cabe a você mesma pesar os prós e contras e se planejar também!

  8. É incrivel! Me perguntava como fazer isso olha tá aí rsrs! Logo mais vo para o Peru e Chile fazer um mochilão, agradeço se tiver dicas! E depois vo me planejar p realizar um sonho de sair viajando! 😊

    • Ainda não fui para nenhum lugar da América Latina, Suelem. Mas espero que você aproveite bastante! 🙂

  9. Adorei o texto! Parece incrível viver viajando o mundo, mas (infelizmente) ainda está longe de fazer parte dos meus planos. No entanto, gostaria de viajar nos tempos livres dessa forma. É possivel encontrar trabalho em troca de hospedagem por pouco tempo (tipo, duas semanas, um mês…) Obrigada!

  10. Que tipo de trabalho de freelancer online você fazia? Eu me interesso por isso, estou fazendo agora um plano para viajar e trabalhar, mas com essa crise está difícil arranjar um trabalho para eu poder juntar dinheiro previamente.

  11. Adorei sua história, e com certeza é uma inspiração para mim.
    Tem alguma dica de qual país da europa que falem em Inglês que é mais fácil de entrar?

  12. Que experiência fantástica, Andira! Me identifiquei bastante com o seu propósito de vida. Quanto à forma de obter uma renda nos países de destino, será que é possível fazer algum trabalho autônomo nas ruas, por exemplo? Ou é necessário o visto de trabalho também?

    E diante da tomada de decisão que teve ao vender seus bens em troca dessa aventura, fiquei instigado em saber se você planejou recuperar o dinheiro investido de alguma forma ou que atitude teria quando o montante acumulado estivesse perto de acabar?

  13. Mariane dos Santos Responder

    Apaixonada pelo seu relato. Me inspirou a tornar esse sonho uma realidade. Obrigada pelas dicas.
    Sou novas nesse lance de viajar, principalmente sozinha. O idioma sempre foi uma barreria =(

  14. ola estou na grecia gostaria de saber se existe algum programa para o brasil eu quero aproveitar e ver minha familia, se posso ir com esposa

  15. Oi, Andira, lindo isso que vcs vivem! Eu e meu namorado estamos com planos de nos jogarmos no mundo tbm, começando pelo Brasil, mas tenho muitas dúvidas. Uma delas que parece meio boba, mas venho pensando por sermos um casal: é possível encontrar quartos privativos em hostels brasileiros? Vc poderia me ajudar com algumas dicas? Obrigada 🙂

    • Oi Ane! O plano de vocês parece incrível! No site do https://www.worldpackers.com/ tem muitas oportunidades de trabalho disponíveis em troca da acomodação. Você pode dar uma olhada para ver se encontra algo que se adapte ao que você e seu namorado estão procurando. 🙂

  16. Olá Andira tudo bem?
    Você poderia me recomendar algum hostel que eu possa trabalhar em troca de acomodação?
    Grato

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios. Campos obrigatórios são marcados com *

Aplicativos de Celular Hostelworld

Faça a reserva no caminho com os novos aplicativos móveis da Hostelworld.

Download on App Store Download on Play Store

Pesquise e reserve mais de 33.000 propriedades em 170 países, onde você estiver.